Sismo no Japão matou quatro pessoas e feriu quase uma centena

Um comboio descarrilou, parcialmente, após um terramoto em Shiroishi
Um comboio descarrilou, parcialmente, após um terramoto em Shiroishi Direitos de autor 大森裕太/AP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O sismo de magnitude 7.4, no nordeste do Japão, matou quatro pessoas e feriu quase uma centena, na região onde ocorreu o desastre nuclear de Fukushima

PUBLICIDADE

.

O violento sismo que esta quarta-feira fez tremer a costa nordeste do Japão matou pelo menos quatro pessoas deixou cerca de uma centena de feridos.

O abalo, de magnitude 7.4 na escala de Richter, foi registado por inúmeras câmaras de segurança.

Mais de 2.2 milhões de pessoas ficaram sem eletricidade em 14 regiões do país, incluindo a região de Tóquio, onde o sismo também foi sentido.

Vários edifícios ficaram destruídos e muitos dos feridos foram atingidos por destroços de construções que cederam às vibrações do terreno.

Há também imensas infraestruturas afetadas, como estradas e caminhos-de-ferro, numa vasta área. Uma composição do shinkansen, o comboio de alta velocidade do Japão, descarrilou ao norte de Fukushima, mas não houve vítimas.

O tremor de terra ocorreu na mesma região onde a 11 de março de 2011, o megassismo de magnitude 9.1 na escala de richter, seguido de tsunami, provocou o desastre nuclear de Fukushima.

Não há registo de qualquer anomalia no complexo nuclear de Fukushima, nem nas outras centrais nucleares da região.

O epicentro do sismo situou-se no mar, a cerca de 50 quilómetros da cidade de Minamisoma, no departamento de Fukushima.

Chegou a ser emitido um alerta de tsunami, mas não se registou grande alteração marítima.

Durante a noite foram sentidas numerosas réplicas do abalo sísmico.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Encontrados sem vida 10 dos 26 passageiros de barco de turismo desaparecido no Japão

Japão assina mais de 50 acordos de cooperação com Ucrânia

Balanço do sismo no Japão sobe para 126 mortos