EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Israel investiga morte de jornalista

Corpo da jornalista foi coberto com a bandeira da Palestina
Corpo da jornalista foi coberto com a bandeira da Palestina Direitos de autor Abbas Momani/AP
Direitos de autor Abbas Momani/AP
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Al Jazeera acusa Israel de assassinar jornalista na Cisjordânia. Governo israelita diz estar a investigar, mas avisa que podem ter sido atiradores palestinianos

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas prestaram homenagem a Shireen Abu Akleh, a jornalista do canal Al Jazeera, que morreu esta quarta-feira enquanto acompanhava um ataque israelita em Jenin, na Cisjordânia ocupada.

As ruas de Ramallah encheram-se para acompanhar o corpo da jornalista que foi transportado, por entre a multidão coberto com uma bandeira Palestiniana e um colete de imprensa azul.

O diretor da missão da União Europeia na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, Sven Kühn von Burgsdorff, prestou homenagem à jornalista.

"Estamos aqui, doze, treze pessoas, para ir até vocês, porque perderam hoje uma das vossas mais respeitadas e maravilhosas colegas, Shireen Abu Akleh, que foi assassinada esta manhã, às seis horas, em Jenin, ao acompanhar a incursão das forças de segurança israelitas na área".

A Al Jazeera acusou Israel de matar a jornalista a sangue frio, mas o Governo israelita diz que podem ter sido atiradores palestinianos.

"Com base na informação preliminar que temos, existe uma possibilidade significativa de a jornalista ter sido baleada por palestinianos armados. No entanto, para descobrir a verdade, é necessário haver uma verdadeira investigação e os palestinianos estão a impedi-la", afirma o primeiro-ministro israelita, Naftali Bennett.

O ministro israelita da Defesa, Benny Gantz ,prometeu uma investigação exaustiva ao assassinato da repórter e pediu aos funcionários palestinianos que lentreguem a bala que a matou.

Gantz disse disse, ainda, que Israel tem estado em contacto com funcionários norte-americanos e palestinianos, e disse que toda a investigação seria tornada pública.

De acordo com jornalistas do canal árabe, Shireen Abu Akleh foi atingida a tiro na cabeça apesar de estar a usar um colete azul, antibalas com as letras PRESS (Imprensa).

Abu Akleh foi, ainda levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU conclui que jornalista Shireen Abu Akleh foi abatida por Israel

Confrontos violentos na Cisjordânia

Israel aprova expansão dos colonatos na Cisjordânia