Vucic promete proteger sérvios do Kosovo

As tensões entre a Sérvia e o Kosovo voltam a aumentar.
As tensões entre a Sérvia e o Kosovo voltam a aumentar. Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente da Sérvia garante que o país se mobilizará para proteger a minoria sérvia no Kosovo, caso a NATO não o faça.

PUBLICIDADE

O Presidente da Sérvia garantiu que o país se vai mobilizar para proteger os cidadãos sérvios que vivem no Kosovo, caso a NATO não faça o seu "trabalho no território". Aleksandar Vucic deixou um apelo claro à Organização do Tratado do Atlântico Norte. 

Não haverá colunas de refugiados e salvaremos o nosso povo da perseguição e de massacres étnicos, se a NATO ou as forças da KFOR não o quiserem fazer
Aleksandar Vucic
Presidente da Sérvia

Este discurso acontece após conversações políticas infrutíferas da semana passada entre os líderes sérvio e kosovar, mediadas pela União Europeia.

Os dois presidentes estiveram reunidos para tentar chegar a um acordo sobre a decisão do Kosovo de proibir no seu território bilhetes de identidade e matrículas de veículos sérvios. As negociações não chegaram a bom porto e a medida vai acabar por avançar no próximo mês, ainda que tenha o desagrado da Sérvia. 

Nas últimas semanas, a tensão entre Belgrado e Pristina não pára de aumentar. Após o colapso das conversações, a NATO colocou inclusivamente tropas nas principais estradas do Kosovo para garantir a segurança no território.

De salientar que, no Ocidente, aumentam os receios de que a Rússia possa vir a encorajar a Sérvia a uma intervenção armada no norte do Kosovo, situação que viria a desestabilizar ainda mais a situação na região dos Balcãs.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Parlamento Europeu apela à Sérvia a reconsiderar posição face à Rússia

Detidos suspeitos de morte de menina de dois anos

Sérvios assinalam 25 anos dos bombardeamentos da NATO