EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Ataque do exército mata várias crianças em Myanmar

Pelo menos 15 crianças morreram no ataque
Pelo menos 15 crianças morreram no ataque Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pelo menos onze crianças morreram e 15 estão desaparecidas depois de um ataque do exército na região de Sagaing, em Myanmar, na sexta-feira. Uma escola foi atingida, segundo um comunicado da UNICEF, que já pediu a "libertação imediata" dos 15 menores, que terão sido sequestrados.

PUBLICIDADE

Pelo menos onze crianças morreram e 15 estão desaparecidas depois de um ataque do exército na região de Sagaing, em Myanmar, na sexta-feira. Uma escola foi atingida, segundo um comunicado da UNICEF, que já pediu a "libertação imediata" dos 15 menores, que terão sido sequestrados.

O ataque incluiu bombardeamentos aéreos e tiros indiscriminados em terra.

As aldeias de Sagaing têm sido palco dos combates entre rebeldes e soldados do regime militar. "Quando os soldados chegaram à nossa aldeia, escondemo-nos atrás de arbustos, mas o meu filho estava doente e só conseguiu esconder-se nas proximidades. Quando os soldados o encontraram, espancaram-no até a morte. No sítio onde estava escondida, ouvi o som de alguém a ser morto", conta San Nwae, mãe de uma vítima da aldeia de Mintaingpin.

"Quando os soldados chegaram à nossa aldeia, escondemo-nos atrás de arbustos, mas o meu filho estava doente e só conseguiu esconder-se nas proximidades. Quando os soldados o encontraram, espancaram-no até a morte. No sítio onde estava escondida, ouvi o som de alguém a ser morto."

Sagaing, na antiga Birmânia, é um bastião da resistência armada à junta militar, que derrubou o governo civil num golpe de Estado a 1 de fevereiro do ano passado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeiro contingente de tropas da Alemanha chega a Vilnius para reforçar flanco leste da NATO

Porta-voz do exército israelita: "Pode haver um cessar-fogo hoje ou daqui a um ano".

Ucrânia: guerra às portas da Europa abre caminho a projeto de defesa comum