EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Mamã África: uma vida dedicada à causa da africanidade e da cultura angolana

Mamã África: uma vida dedicada à causa da africanidade e da cultura angolana
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Chris BurnsDinamene Cruz
Publicado a
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Casa Museu de Aminata Goubel, conhecida como Mamã África, é uma porta de entrada única para descobrir a cultura angolana.

PUBLICIDADE

Aminata Goubel, conhecida como Mamã África, recebeu-nos na sua casa, à beira-mar. A Casa Museu é uma porta de entrada única para descobrir a cultura angolana.

Máscaras, obras de arte e instrumentos de música são alguns dos objetos que impressionam os visitantes. "As pessoas ficam aqui a olhar. É um hotel? É um restaurante? É uma casa? E pensam: 'Esta senhora é maluca'. Podem vir visitar. É a Mamã África. Bebo e passo cultura todos os dias da minha vida. Não sei viver sem isso", contou à euronews Aminata Goubel.

euronews
A casa museu de Mamã Áfricaeuronews

A causa da africanidade

A Casa Museu dedica-se à promoção da cultura angolana e da cultura africana. "Eu tenho uma causa. A causa é África, é africanidade. Uma África melhor, uma África alegre, uma África onde não há guerra, não há fome, uma África onde se vê a beleza dos olhos das crianças, o sorriso alegre, os olhos das mulheres com a sua roupa tradicional, o seu cabelo natural", frisou Aminata Goubel.

Para Mamã África, a cultura é uma história de família, transmitida de geração em geração, nomeadamente pela mãe, a célebre cozinheira angolana Mama Kuiba. 

"Cresci com minha a minha mãe, avó, bisavó, envolvida na cultura onde as mulheres da minha família tinham este poder. Cresci amando e querendo ser uma mulher que iria preserver a africanidade, a sua angolanidade", contou Mamã África.

Uma história de família

A filha de Aminata Goubel, Fátiha Marlene Goubel Manuel, partilha os valores da mãe.

"O que posso fazer é mostrar aos jovens, à minha geração, ou à geração mais jovem que vem depois de mim, que é possível ser africano, parecer africano, ter cabelo africano e usar roupas africanas e ao mesmo tempo ser jovem, ser um cantor, ser médico. Podemos ser o que quisermos e ainda assim parecer africano", disse à euronews Fátiha Marlene Goubel Manuel.

euronews
A filha de Mamã África partilha os valores da mãe.euronews

Uma carreira de quatro décadas como jornalista

Depois de uma carreira de quatro décadas como jornalista, Mamã Africa continua ligada à rádio.

"Para mim ela encarna aquele conceito segundo o qual o jornalista não é só jornalista enquanto estiver a trabalhar. O jornalista é jornalista todos os dias. Eu a definiria como alguém que, faz do seu dia-a-dia uma forma de defender, de mostrar aquilo que é o continente africano para o mundo", afirmou Luísa Rogério, jornalista e presidente da Comissão de Carteira e Ética de Angola.

euronews
A casa museu, uma referência na promoção da cultura angolanaeuronews

Uma casa aberta aos jovens

A Casa Museu é uma referência para todas as gerações, incluindo os mais jovens.

"É uma casa com um espírito muito forte. Primeiro, porque estamos ao lado do mar. Os jovens procuram a casa museu, para consultar, para conversar connosco e beber um pouco da nossa experiência e maturidade da cultura que levamos com muito amor. Quem vem à nossa casa, amarra um pano, toca batuque", sublinhou Mamã África.

"Ela é uma eterna estudante. Gosta de aprender, de absorver. Gosta de se sentar e aprender com a árvore, como ela diz. Senta-se ao pé da árvore e obtém todo o conhecimento da árvore", concluiu a filha de Mamã África.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Ellen Johnson Sirleaf clama por equidade e igualdade para as mulheres

Mamã Kuiba: um símbolo da gastronomia angolana