EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Assassino em série que inspirou série da Netflix regressa a França

Charles Sobhraj escoltado à saída da prisão, no Nepal
Charles Sobhraj escoltado à saída da prisão, no Nepal Direitos de autor Niranjan Shrestha/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Niranjan Shrestha/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  Nara Madeira com AFP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Charles Sobhraj, assassino em série condenado a prisão perpétua no Nepal, e que inspirou série da Netflix, foi libertado e extraditado para França.

PUBLICIDADE

Charles Sobhraj - o assassino em série condenado no Nepal, em 2003, a prisão perpétua, pelo assassinato de dois cidadãos dos EUA - foi libertado, por estar doente, e já está de regresso a França onde chegará na manhã de sábado. 

Já no avião, e a um jornalista da agência France Press, afirmou-se "inocente" dos crimes pelos quais foi condenado, acrescentando sentir-se bem e garantindo que vai processar toda a gente, incluindo o Estado nepalês.

Conhecido por "a serpente", o nome de Sobhraj, atualmente com 78 anos, está ligado a, pelo menos, 24 assassinatos de turistas estrangeiros, em vários países da Ásia, nos anos 70, a quem roubava tudo, incluindo a identidade. A história é de tal forma impressionante que acabou por inspirar uma minisérie na Netflix intitulada, em português, "O Paraíso e a Serpente".

O homem de ascendência indo-vietnamita e nacionalidade francesa, precisa de ser operado ao coração. Após cumprir três quartos da sentença a justiça nepalesa decidiu, por questões ligadas aos Direitos Humanos, libertá-lo. Em 2017, Sobhraj tinha sido já submetido a uma intervenção cardíaca.

Sobhraj - que teve muitas identidades e tem um histórico de crime - foi detido, pela primeira vez, na Índia em 1976, acabou por passar 21 anos na prisão. Escapou, em 1986, mas acabou detido novamente em Goa. Foi libertado em 1997 e mudou-se para Paris. Acabou por ser preso novamente em em 2003 em Katmandu, onde foi condenado a prisão perpétua.

Outras fontes • Netflix

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

França: Ex-mulher de assassino em série julgada por cumplicidade em três homicídios

Popularidade de série da Netflix provoca invasão de turistas asiáticos a aldeia suíça

Série da Netflix "Wednesday" atrai turistas à Roménia