EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Putin acusa Ocidente de querer infligir derrota estratégica à Rússia

Vladimir Putin no seu Discurso à Nação
Vladimir Putin no seu Discurso à Nação Direitos de autor Sergei Savostyanov/Sputnik
Direitos de autor Sergei Savostyanov/Sputnik
De  Nara Madeira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladimir Putin acusa o Ocidente de querer infligir uma derrota estratégica à Rússia, NATO diz que Moscovo está a preparar-se para mais guerra.

PUBLICIDADE

A Rússia anunciou a suspensão do "New START", o Novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas assinado entre Moscovo e Washington. Vladimir Putin afirmou que a Rússia deve estar pronta a retomar os testes de armas nucleares se os EUA o fizerem. 

No seu discurso sobre o Estado da Nação, o presidente russo acusou os EUA e os seus aliados da NATO de declararem, abertamente, o objetivo de que a Rússia seja derrotada na Ucrânia.

"Eles querem infligir-nos uma derrota estratégica e estão a tentar chegar às nossas instalações nucleares. A esse respeito, sou obrigado a anunciar, hoje, que a Rússia suspende a sua participação no Novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas".
Vladimir Putin
Presidente da Rússia

Já o secretário-geral da NATO "lamentava" a decisão da Rússia de suspender a sua participação no tratado sobre o nuclear e lançava, também ele, acusações.

"Um ano após ele ter lançado a invasão russa não vemos nenhum sinal de que
o Presidente Putin esteja a preparar-se para a paz. Pelo contrário, como ele deixou claro hoje, está a preparar-se para mais guerra. A Rússia está a lançar novas ofensivas, a mobilizar mais tropas abordando a Coreia do Norte e o Irão".
Jens Stoltenberg
Secretário-geral da NATO

O Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, referia que o anúncio da Rússia é "infeliz e muito irresponsável". Falando aos meios de comunicação durante a sua visita a Atenas, Antony Blinken afirmou que o seu país "estará atento ao que a Rússia fará", mas deixou a porta aberta a futuras conversações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Contas de amigo de Putin levam bancários à justiça na Suíça

Putin incluiu a Ucrânia nas "fronteiras históricas" da Federação russa

"Fortes indícios" de que Putin forneceu míssil que abateu voo MH17