EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Eslováquia: Alena Zsuzsova condenada a 25 anos de prisão por ter ordenado o homicídio de Jan Kuciak

Eslováquia: Alena Zsuzsova condenada a 25 anos de prisão por ter ordenado o homicídio de Jan Kuciak
Direitos de autor Petr David Josek/AP
Direitos de autor Petr David Josek/AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Jornalista foi morto a tiro em 2018 quando estava prestes a publicar um artigo sobre corrupção de alto nível envolvendo a máfia italiana e políticos da Eslováquia.

PUBLICIDADE

A justiça da Eslováquia  condenou Alena Zsuzsova a 25 anos de prisão por ter preparado o homicídio do jornalista de investigação Jan Kuciak e por ter planeado a morte de vários procuradores. O milionário Marian Kocner voltou a ser absolvido. 

Em 2020, o multimilionário já tinha sido absolvido da acusação de mandante do homicídio do jornalista de investigação, por falta de provas. Na mesma altura, a alegada cúmplices, Alena Zsuzsova, foi igualmente absolvida pelo Tribunal Criminal de Pezinok, na Eslováquia. Mas três anos depois a sentença foi revista. Tomas Szabo, acusado de executar o crime já tinha sido condenado a 25 anos de prisão.

O crime, ocorrido em 21 de fevereiro de 2018, chocou a Eslováquia. Jan Kuciak e a noiva, Martina Kusnirova, ambos de 27 anos, foram assassinados em casa na cidade de Velka Maca, a leste de Bratislava, ele com um tiro no peito e ela na cabeça. 

O jornalista trabalhava para a página aktuality.sk e estava prestes a publicar um artigo sobre corrupção de alto nível envolvendo a máfia italiana e políticos deste pequeno país da zona euro, revelou o órgão para o qual ele trabalhava.

Os protestos no país provocaram uma crise política que levou à queda do Governo em março de 2018.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Populistas que se opõem à ajuda à Ucrânia vencem legislativas eslovacas

"Eu perdoo-o": Robert Fico diz que não sente "nenhum ódio" pelo seu agressor

A proliferação de notícias falsas na Eslováquia serve de aviso à UE