Zelenskyy condecora soldados na linha da frente em Donetsk

Volodymyr Zelenskyy a condecorar soldados na linha da frente em Donetsk, Ucrânia
Volodymyr Zelenskyy a condecorar soldados na linha da frente em Donetsk, Ucrânia Direitos de autor Captura de video de AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente ucraniano agradeceu o esforço dos militares que estão a impedir a conquista de território por parte das forças russas.

PUBLICIDADE

Depois de uma ofensiva diplomática no exterior, Volodymyr Zelenskyy está de volta à Ucrânia, onde, esta terça-feira, condecorou soldados na linha da frente na região de Donetsk.

Num discurso dirigido aos militares, o presidente ucraniano reconheceu o esforço em manter a região fora do controlo de Moscovo, numa altura em que se decide a captura de Bakhmut por parte das forças russas.

"Tudo depende de vós, saibam disso. E estamos perfeitamente conscientes de quem está a carregar esta vitória às costas. Tomem conta de vós", afirmou o chefe de Estado ucraniano.

A visita de Zelensky à região onde as forças russas concentram esforços, acontece depois de nos últimos dias o presidente ucraniano ter assegurado mais apoio militar da comunidade intrnacional.

Tensão e dúvidas em Belgorod

O ambiente está tenso em Belgorod, com Moscovo a reclamar ter feito recuar de volta para a Ucrânia os combatentes anti-Kremlin que desde segunda-feira atacam a região fronteiriça russa. 

De acordo com o governador local, Vyacheslav Gladkov, pelo menos oito pessoas ficaram feridas.

"Não há mortes de civis até à data. Todas as ações necessárias por parte das forças da ordem estão a ser levadas a cabo. Estamos a aguardar a conclusão da operação antiterrorista que foi anunciada ontem", disse.

A autoria do ataque é até agora pouco clara. Kiev negou qualquer envolvimemto, já o Kremlin rejeita que se trate de uma milícia de etnia russa. 

Ainda de acodo com o ministério russo da Defesa, 70 combatentes terão sido mortos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Grupo Wagner quer entregar Bakhmut a Moscovo até 1 de junho

EUA abertos a envio de caças F-16 para a Ucrânia

Ucrânia aposta na indústria de defesa nacional enquanto aguarda por mais munições dos aliados