EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Familiares de vítimas de naufrágio ao largo da Grécia desesperam por sinais de vida

Kaseem Abozzed desespera por notícias da mulher e do irmão.
Kaseem Abozzed desespera por notícias da mulher e do irmão. Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca de 750 migrantes seguiam a bordo de embarcação que naufragou. Partiu da Líbia rumo a Itália, mas para muitos foi, de forma chocante, a última viagem.

PUBLICIDADE

Depois da tragédia, começaram a vir à tona os relatos chocantes relacionados com o naufrágio de uma embarcação ao largo da costa Grécia, a sul da cidade costeira de Pylos, na madrugada de quarta-feira.

Na cidade de Calamata, familiares dos migrantes que viajavam na embarcação revelaram as fortunas pagas em vão aos traficantes.

Kaseem Abozzed desespera por notícias da mulher e do irmão.

"Estão a procurar corpos no mar. Estão a olhar para os corpos no hospital e para os sobreviventes, mas os sobreviventes não correspondem”, lamentou, em entrevista à Euronews.

5000 mil dólares para partir da Líbia rumo a Itália é quanto os familiares das vítimas dizem que os migrantes pagaram aos traficantes.

Uma viagem que para muitos foi a última.

A bordo da embarcação seguiam 750 pessoas, incluindo dezenas de crianças. Mais de uma centena de migrantes foram resgatados e recuperados 78 corpos, mas os números adivinham-se mais negros à medida que o tempo avança.

Nas últimas horas muitos familiares dos desaparecidos chegaram ao porto de Calamata.

Há pessoas que viajaram da Alemanha, Chipre e de outros lugares. Dizem que perderam a esperança e que não acreditam em milagres, mas que querem despedir-se e fechar o capítulo negro.

Desde os primeiros momentos da tragédia em Pylos, os moradores de Calamata, a autoridade municipal e as empresas apressaram-se a ajudar.

Nas cozinhas municipais, voluntários preparam comida para as vítimas.

Também há um depósito para recolher roupas e sapatos, cobertores e outras coisas que possam ser precisas.

A tragédia tocou tudo e todos de maneiras diferentes.

As autoridades europeias estão a ser acusadas de inação, por organizações de apoio a migrantes e refugiados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tusk nomeia comissão para investigar influência russa e bielorrussa após detenções de espiões

Gregos preocupados com fluxo cada vez maior de migrantes

Polícia teve 90 segundos para parar o tráfego na maior ponte de Baltimore, antes do embate