EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Alegados traficantes de migrantes vítimas de naufrágio acusados pela justiça grega

Há 78 mortos confirmados no naufrágio de quarta-feira ao largo da Grécia
Há 78 mortos confirmados no naufrágio de quarta-feira ao largo da Grécia Direitos de autor ANGELOS TZORTZINIS/AFP or licensors
Direitos de autor ANGELOS TZORTZINIS/AFP or licensors
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os sobreviventes do naufrágio de quarta-feira foram transferidos para um centro, enquanto os supostos traficantes foram formalmente acusados.

PUBLICIDADE

Os sobreviventes do naufrágio ao largo da Grécia ocorrido quarta-feira de madrugada chegaram ao Centro de Identificação e Receção de Malakasa, esta sexta-feira.

Atualmente, há 95 pessoas hospedadas neste centro, que tem capacidade para hospedar 1.500.

Entretanto, nove homens egípcios detidos como os alegados traficantes dos migrantes que seguiam a bordo foram apresentados a um procurador do Ministério Público de Kalamata na noite de quinta-feira e acusados.

Acusados de formar uma organização criminosa para a entrada ilegal de migrantes, causando um naufrágio e colocando vidas em risco. A ONU diz que a tragédia destaca a necessidade de os estados terem mais canais de migração regulares.

"O que aconteceu na quarta-feira ressalta a necessidade de investigar os contrabandistas e os traficantes de pessoas e garantir que sejam levados à justiça", sublinha Jeremy Laurence, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos. 

As buscas continuaram durante a última noite, mas sem que fossem encontrado mais sobreviventes. Há 78 mortos confirmados, mas centenas de pessoas continuam desaparecidas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Naufrágio de migrantes na Grécia: PE pede inquérito "independente"

Porque falha o salvamento de migrantes no mar junto à costa da UE?

Centro de acolhimento de migrantes sobrelotado em Lampedusa