EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Níger: ultimato da CEDEAO expira este domingo

Apoiantes do golpe de Estado no Níger manifestam-se contra a interferência estrangeira no país
Apoiantes do golpe de Estado no Níger manifestam-se contra a interferência estrangeira no país Direitos de autor Sam Mednick/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Sam Mednick/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Este domingo termina o prazo dado pela CEDEAO aos golpistas do Níger para reporem no poder o presidente Bazoum. A junta militar terá pedido ajuda ao grupo Wagner.

PUBLICIDADE

A situação agrava-se no Níger. Os chefes militares da CEDEAO já definiram um plano de intervenção mas apelam a uma solução diplomática.

Abdel-Fatau Musah, Comissário para os Assuntos Políticos, Paz e Segurança da CEDEAO afirmou: "Queremos que a diplomacia funcione e queremos que esta mensagem seja claramente transmitida aos líderes da Junta do Níger de que estamos a dar-lhes todas as oportunidades para reverterem o que fizeram."

Este domingo expira o ultimato de sete dias lançado pelos países da África Ocidental, que exigem que os golpistas restabeleçam a administração civil e libertem o presidente Bazoum.

Esta sexta-feira, a delegação da CEDEAO visitou Niamey, mas não conseguiu encontrar-se com o general Tchiani. Inicialmente, foi noticiado que a CEDEAO recusava a intervenção militar, passando a aplicar sanções. Mais tarde, porém, os chefes militares do bloco anunciaram que tinham elaborado um plano para uma invasão armada.

Estão estacionadas no Níger cerca de 1500 tropas francesas e 1000 tropas norte-americanas, bem como outras unidades de outros países da União Europeia e de África. Tanto Paris como Washington manifestaram um apoio inequívoco ao deposto presidente Bazoum e a qualquer decisão da CEDEAO, incluindo uma solução militar.

Por sua vez, os líderes golpistas do Níger pediram a intervenção do grupo de mercenários russos, Wagner, segundo diversos meios de comunicação ocidentais. 

O possível envolvimento do Wagner tem sido discutido desde o início do golpe, mas até agora não houve provas.

Dois países vizinhos, o Mali e o Burkina-Faso - que tiveram os seus próprios golpes de Estado nos últimos dois anos - opõem-se fortemente às ações da CEDEAO e prometeram apoio militar ao Níger, em caso de intervenção estrangeira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Secretário-geral da ONU lamenta que "ordem constitucional" não seja restabelecida no Níger

Forças russas destacadas para base aérea ocupada por norte-americanos no Níger

Macron diz que França vai retirar tropas e embaixador franceses do Níger