EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Paris e Berlim tentam melhorar a cooperação franco-alemã

Emmanuel Macron e Olaf Scholz, em Hamburgo, 10 de outubro de 2023
Emmanuel Macron e Olaf Scholz, em Hamburgo, 10 de outubro de 2023 Direitos de autor Markus Schreiber/AP
Direitos de autor Markus Schreiber/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O chanceler alemão, Olaf Scholz, recebeu, na cidade de Hamburgo, o presidente francês, Emmanuel Macron, na véspera de uma reunião dos dois governos com vista a melhorar a cooperação franco-alemã.

PUBLICIDADE

Paris e Berlim tentam retomar a relação cordial, para além das divergências sobre política energética, industrial e de defesa.

Enquanto o presidente francês, Emmanuel Macron, anuncia um acordo sobre a reforma do mercado elétrico europeu antes do final do mês, o chanceler alemão, Olaf Scholz, compara o eixo franco-alemão a um "casal inquebrável".

"A França e a Alemanha são um casal muito importante para a Europa. Tal como acontece com muitos casais, por vezes existem perspetivas diferentes sobre uma questão ou outra. Mas é possível desenvolver um ponto de vista comum, afirmou Scholz.

Scholz sublinhou que a cimeira franco-alemã se realizará no espírito de "confiança especial" existente entre os dois países, e mencionou "a manutenção da coesão social em tempos de mudança", bem como "o impacto dos avanços tecnológicos como a inteligência artificial" entre os temas que serão abordados.

Macron, por sua vez, acrescentou aos temas da agenda as alterações climáticas, a guerra na Ucrânia e as atuais tensões geopolíticas, bem como os desafios que a indústria enfrenta em França e na Europa.

A França e a Alemanha garantem que não esquecem a Ucrânia e prometeram apoio consistente a longo prazo.

A Europa está a lidar com a transição energética, o aumento da imigração irregular a que se junta a guerra na Ucrânia e o novo conflito no Médio Oriente.

Solidariedade com Israel

Questionado sobre o apoio do Irão ao Hamas, Emmanuel Macron afirmou: "Não tenho comentários a fazer sobre o envolvimento direto do Irão, do qual não temos provas formais, mas é claro que os comentários públicos das autoridades iranianas foram inaceitáveis. E é provável que tenha sido oferecida ajuda ao Hamas. A França está a investigar se o Irão está diretamente envolvido".

Os dois líderes sublinharam a sua solidariedade para com Israel e indicaram ambos que esta noite falarão por videoconferência com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e com o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, a fim de coordenar as suas posições.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

França-Alemanha: Projeto transfronteiriço impulsiona a transição energética

Alemanha e França têm proposta de reforma para o alargamento da UE

Renew Europe pode sofrer uma perda brutal de deputados nas eleições europeias