EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

G20 e países de África debatem, em Berlim, cooperação económica e energias renováveis

Berlim, cimeira de investimento em África
Berlim, cimeira de investimento em África Direitos de autor Liesa Johannssen/AP
Direitos de autor Liesa Johannssen/AP
De  Nara Madeira com AP, AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Berlim recebe cimeira de investimento entre G20-África. energias renováveis e cooperação económica são os pontos-chave do encontro.

PUBLICIDADE

O Chanceler alemão é o anfitrião da Cimeira de Investimento que reúne os líderes do G20 aos de África. 

O objetivo é incentivar o investimento privado sobretudo ao nível das energias renováveis e da cooperação económica. O Governo alemão comprometeu-se a investir 4 mil milhões de euros em projetos africanos de energia verde, até 2030. 

Olaf Scholz frisava que o "futuro da Europa está, intrinsecamente, ligado" ao de África mas, e apesar deste continente estar aberto a parcerias com a Europa, o Presidente da União Africana admitia que a China já conquistou o seu espaço. Moussa Faki Mahama dizia constatar que "hoje em dia, quem constrói as infraestruturas são essencialmente os chineses". Explicava este fenómeno talvez pela "audácia" dos chineses, "é possível que tenham mais visão e é possível que tenham confiado no potencial de África", concluía este responsável.

O Presidente da União Africana apelava a uma "competição positiva", entre a Europa e a China, pelo investimento em África.

Na segunda-feira, a Presidente da Comissão UE, Ursula von der Leyen, afirmava que o programa europeu de apoio, que está a ser implementado, está a ajudar a criar um ambiente favorável às empresas e a mobilizar ainda mais investimento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Olaf Scholz de olhos postos no gás africano

Vice-presidente do Malawi morreu em desastre de avião

Líder militar vence eleições no Chade, apesar de alegações de fraude