As razões para a mega-manifestação dos agricultores em Madrid

Agricultores protestam em frente ao Ministério da Agricultura
Agricultores protestam em frente ao Ministério da Agricultura Direitos de autor Christina Thykjaer / Euronews
Direitos de autor Christina Thykjaer / Euronews
De  Christina Thykjaer
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em espanhol

Apelam ao reforço da cadeia alimentar, à redução da burocracia e a um maior controlo das importações.

PUBLICIDADE

Não aguentam mais. Os agricultores espanhóis afirmam que estão a trabalhar com prejuízo. Apesar do aumento dos preços nos supermercados, não viram as suas margens de lucro aumentar.

Muitos afirmam que nem sequer é rentável para eles manter as suas culturas. Além disso, são contra as políticas verdes adotadas pela União Europeia que, segundo os trabalhadores agrícolas, estão a prejudicar a sua atividade.

Queixam-se de que os produtos são importados de outros países onde a legislação é mais permissiva. Alegam que os governos incentivam a concorrência desleal, maltratando os produtores locais.

O que é proibido aqui não pode ser importado de outros países.
Luis Planas
Ministro da Agricultura de Espanha

No entanto, o ministro da Agricultura, Luis Planas, já garantiu que a situação vai mudar. "O que é proibido aqui não pode ser importado de outros países", disse ele numa conferência de imprensa há alguns dias.

Para acabar com o descontentamento no sector primário, Planas diz que vai pedir à União Europeia que modifique a Lei da Cadeia Alimentar e aumente as restrições às importações, a fim de inverter a situação no campo.

Além disso, o governo está a preparar um pacote de 18 medidas em resposta a muitas das exigências dos agricultores, com o objetivo de reforçar a cadeia alimentar, reduzir a burocracia e controlar as importações.

Porque é que os agricultores se estão a manifestar?

Estas três são as principais reivindicações do sector primário e o Governo aceitou-as. Mas isso não parece ser suficiente para que os manifestantes ponham fim aos seus protestos.

Muito zangados, ergueram hoje a sua voz aos céus. A capital espanhola foi "invadida" por centenas de tratores. Nunca antes se tinham visto tantos em Madrid. Alguns transportavam a bandeira espanhola ou cartazes contra o governo.

Tractores acceden a Madrid
Tractores acceden a MadridChristina Thykjaer / Euronews

É a primeira vez que um grande número de agricultores cerca a sede do Ministério da Agricultura com os seus tratores. Permaneceram no local durante toda a manhã, circulando também por algumas das principais ruas da capital, incluindo a famosa Genova, onde se situa a sede do Partido Popular.

Uma equipa da Euronews assistiu a estes protestos. Os participantes garantiram a este canal que nem todos os agricultores conseguiram aceder à capital devido às restrições que a Guardia Civil fez em algumas das principais entradas da cidade.

Está tudo muito caro e não nos dão nada.
Tomás
Agricultor

"Tudo é muito caro, os consumidores não podem comprar nos supermercados porque tudo é muito caro e eles não nos dão nada", diz Tomás, um agricultor que tem sido afetado pela crise no setor.

A solução, segundo Estrella, outra manifestante, "seria que todos nós, da melhor maneira possível, conseguíssemos vendas para compensar as despesas que temos", algo que não acontece há algum tempo.

Uma grande operação policial impediu os bloqueios de estradas

Centenas de tratores e autocarros foram mobilizados de outras partes de Espanha para esta importante manifestação. Uma grande operação policial impediu o bloqueio das estradas.

Tensão entre a Guardia Civil e os manifestantes na estrada A-42 em Madrid. Neste local, vários agentes intervieram para expulsar trabalhadores agrícolas que tentavam impedir a circulação de veículos neste ponto como forma de protesto.

Outro momento de violência foi vivido por alguns jornalistas. Vários manifestantes cercaram e agrediram pelo menos dois repórteres de televisão que estavam a relatar o que se estava a passar. A Associação de Imprensa de Madrid condenou o facto.

Outro dos pontos principais das manifestações foi a Puerta de Alcalá. A manifestação começou neste local emblemático da capital ao início da manhã.

Os protestos em Espanha surgem depois de o setor primário se ter manifestado em muitos países da UE exigindo medidas muito semelhantes.

Bruxelas tomou nota das queixas dos agricultores de todo o continente. No entanto, parece que esta onda de protestos não vai parar enquanto a Comissão não tomar medidas decisivas.

PUBLICIDADE

Ministro da Agricultura, Luis Planas, sentiu-se indisposto

Esta quarta-feira, coincidindo com as mobilizações do campo na capital espanhola, o Ministro da Agricultura, Luis Planas, sentiu-se mal durante uma das suas intervenções no Congresso dos Deputados.

Depois de sofrer um ataque de vertigens, o Ministro recuperou rapidamente e retomou a sua agenda do dia. O seu estado de saúde é bom e tudo não passou de um susto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agricultores espanhóis em protesto invadem centro de Madrid com centenas de tratores

Agricultores franceses mantêm protestos apesar de novas medidas do governo

Confrontos e detenções em protesto na Geórgia contra lei dos "agentes estrangeiros"