Houthis atacam navio com bandeira de Singapura no Golfo de Aden

Imagem divulgada pelo Comando Central das Forças Armadas dos EUA mostra fogo a bordo do graneleiro True Confidence após um ataque com mísseis dos rebeldes Houthi no Golfo de Áden, a 6 de março de 2024.
Imagem divulgada pelo Comando Central das Forças Armadas dos EUA mostra fogo a bordo do graneleiro True Confidence após um ataque com mísseis dos rebeldes Houthi no Golfo de Áden, a 6 de março de 2024. Direitos de autor Associated Press
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

O grupo Houthi do Iémen lançou um ataque mal sucedido com mísseis contra um navio comercial com bandeira de Singapura no Golfo de Aden, na sexta-feira, continuando a escalada de tensão na região.

PUBLICIDADE

Um ataque dos rebeldes Houthi do Iémen provocou explosões à frente ao navio de Singapura no Golfo de Aden, na sexta-feira, mas não atingiu a embarcação, segundo as autoridades.

É o mais recente de uma campanha de ataques do grupo apoiado pelo Irão contra a guerra de Israel e o Hamas na Faixa de Gaza.

O ataque de sexta-feira teve como alvo o graneleiro Propel Fortune, que prosseguiu a sua viagem, segundo o Comando Central das Forças Armadas dos Estados Unidos. "Os mísseis não atingiram o navio", declarou o exército americano. "Não foram registados feridos ou danos".

Os Houthis reinvindicaram o ataque. O porta-voz militar Houthi, Brigadeiro General Yahya Saree, afirmou que, juntamente com o ataque ao Propel Fortune Attack, as forças Houthi também lançaram 37 drones, visando navios de guerra americanos.

A Marinha dos Estados Unidos, os navios de guerra e os aviões aliados abateram 15 drones Houthi que transportavam bombas no Golfo de Aden e no Mar Vermelho, informaram as autoridades americanas na madrugada de sábado.

O ataque de sexta-feira ao Propel Fortune ocorreu depois de um míssil Houthi ter atingido um navio comercial no Golfo de Áden, na quarta-feira, matando três dos seus tripulantes e obrigando os sobreviventes a abandonar a embarcação.

Este foi o primeiro ataque fatal na campanha dos Houthi durante a guerra em Gaza. Os Houthis descrevem os ataques como uma tentativa de pressionar Israel a parar com a agressão na Palestina, mas os seus alvos têm cada vez mais pouco ou nada a ver com o conflito.

Outras ações recentes dos Houthi incluem um ataque em fevereiro a um cargueiro de fertilizantes, o Rubymar, que se afundou no sábado depois de ter andado à deriva durante vários dias, e o abate de um drone americano no valor de dezenas de milhões de dólares.

Os EUA também realizaram ataques aéreos na sexta-feira que, segundo eles, destruíram dois mísseis anti-navio montados em camiões dos Houthi no Iémen. Os rebeldes não reconheceram diretamente qualquer destruição causada por esses ataques.

Os Houthis têm mantido o norte do Iémen e a capital do país, Sanaa, desde 2014. Lutam contra uma coligação liderada pela Arábia Saudita desde 2015, numa guerra civil há muito estancada no país mais pobre do mundo árabe.

Desde que os EUA iniciaram a sua campanha de ataques aéreos em janeiro, os Houthis reconheceram a morte de pelo menos 22 dos seus combatentes. Também foi registada a morte de um civil.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Três mortos e quatro feridos no primeiro ataque mortal dos Houthis a um navio comercial

Apreendidas mais de oito toneladas de cocaína na Martinica

EUA e Reino Unido atacam alvos Houthi no Iémen depois de um navio ter sido atingido no Mar Vermelho