Como fazer arte a partir de metal descartável? A resposta vem das montanhas da Hungria

Antigo reparador de automóveis a esculpir metal descartável na sua oficina nas montanhas da Hungria.
Antigo reparador de automóveis a esculpir metal descartável na sua oficina nas montanhas da Hungria. Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O húngaro Zoltán Rónaszéki é um antigo reparador de automóveis que se fez artista ao reutilizar o que normalmente se deita fora. Pegou em metal descartável e começou a criar esculturas que se tornaram um sucesso de vendas, de tal modo que passou a viver dessas obras.

PUBLICIDADE

Numa aldeia remota das colinas húngaras, a norte do lago Balaton, um antigo reparador de automóveis dá o exemplo de como reciclar metal descartável.

Inspirado pela paisagem pitoresca à sua volta, distante das grandes cidades, Zoltán Rónaszéki cria esculturas espetaculares a partir de utensílios, peças de máquinas e ferramentas enferrujadas.

"Da primeira vez, quis criar um pequeno presente para um colega que se demitiu e fiz uma pequena mota. Foi assim que tudo começou.", explica Zoltán.

Este húngaro desenvolveu o ofício sem qualquer ajuda, contando apenas com o seu próprio talento. Recolhe todo o tipo de metal descartável de casas, oficinas e também de empresas, e acaba por encontrar um lugar para o material numa escultura. 

Os compradores encontraram-no facilmente, o que lhe permitiu deixar o emprego que tinnha e continuar a esculpir a tempo inteiro.

"As pessoas normalmente não se apercebem de que se pode facilmente criar valor real a partir do desperdício, ou do que quer que seja que elas considerem desperdício. Para mim, não é lixo e esta é uma forma fácil de chamar a atenção das pessoas.", afirma.

Atualmente, Zoltán está ocupado com "Ícones do cinema", projeto iniciado há dois anos em parceria com um empresário. 

Trata-se de uma exposição com esculturas que retratam figuras icónicas do mundo do cinema - o artista está neste momento a esculpir a imagem de "King Kong", o mais famoso macaco da sétima arte. 

Graças a estes trabalhos, Zoltán tem conseguido crescer e fazer esculturas ainda maiores, mas o princípio permanece o mesmo: fazer arte a partir de coisas que os outros deitam fora.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Festival de fogo-de-artifício do metal derretido recria chuva de estrelas

Facas bem afiadas: a tradição da metalurgia japonesa

Campanha para reciclar telemóveis em medalhas olímpicas é um sucesso