Um morto e cinco feridos após ataques de urso na Eslováquia

Um urso pardo atacou cinco pessoas numa área residencial de uma cidade no norte da Eslováquia
Um urso pardo atacou cinco pessoas numa área residencial de uma cidade no norte da Eslováquia Direitos de autor Tamas Soki/MTI - Media Service Support and Asset Management Fund
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Ursos causam alarme na Eslováquia. Dois ataques no espaço de três dias fazem uma morte e cinco feridos. País quer reabrir debate sobre a proteção da espécie.

PUBLICIDADE

Foram registados dois ataques de urso nos últimos três dias no norte da Eslováquia. Uma pessoa morreu e outras cinco ficaram feridas, o que levou a cidade eslovaca de Liptovský Mikuláš a decretar estado de emergência.

Nas redes sociais já circulam imagens de um urso a circular nas ruas da cidade eslovaca e a perseguir várias pessoas que foram surpreendidas pelo animal.

O urso que causou os distúrbios no domingo ainda não foi encontrado. Apesar de haver seis patrulhas na busca do animal, a população está a ser avisada para não se afastar das áreas residenciais, especialmente nas primeiras horas da manhã e à noite.

"O urso foi empurrado pelas forças de resgate e segurança para zonas desabitadas, onde as equipas de emergência têm ordens para o abater", afirmaram as autoridades da cidade.

De acordo com as autoridades, cita a BBC, uma mulher de 49 anos sofreu uma lesão num ombro e um homem de 72 anos que teve de receber tratamento por um corte na cabeça. Uma criança de 10 anos e mais dois adultos sofreram arranhões e hematomas.

Um dia antes, uma mulher de 31 anos morreu após também ser perseguida por um urso na floresta na Eslováquia, quando caminhava acompanhada de um homem em Low Tatas (uma cordilheira no norte do país). 

Segundo testemunhou o homem às autoridades, cita a BBC, quando os dois encontraram o animal fugiram cada um para seu lado e não se voltaram a encontrar.

A causa da morte da mulher de nacionalidade bielorrussa não é clara, uma vez que não se sabe se terá sido provocada pelo urso ou se a mulher terá caído enquanto tentava fugir do animal. O corpo foi encontrado numa busca e o urso ainda se encontrava próximo do local, mas acabou por ser afugentado pelos disparos de advertência da equipa de resgate.

Nos últimos anos, aumentaram os relatos de ataques de urso na Eslováquia. Em 2021, registou-se o primeiro ataque mortal no país em 100 anos, o que levantou a discussão sobre se a espécie devia continuar a ser protegida.

Uma melhor proteção da espécie no final dos anos 80 possibilitou um regresso do urso a números razoáveis na cordilheira dos Cárpatos, que se estende desde a Roménia até ao oeste da Ucrânia e até à Eslováquia e à Polónia.

Perante os recentes ataques, há quem defenda no país a possibilidade de se aliviar a proteção da espécie e que o número de ursos possa ser regulado pela caça.

O ministro do ambiente da Eslováquia disse que irá propor, juntamente com a Roménia, no próximo Conselho Europeu uma revisão da presença dos ursos pardos na lista de espécies protegidas, já que a espécie, alegadamente, já não se encontra ameaçada.

Os conservacionistas, no entanto, dizem que não houve uma explosão na população estimada de ursos da Eslováquia, apesar de permanecer estável.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Não são ursos pardos com casacos brancos": verões mais longos no Ártico podem levar ursos polares à extinção

Urso pardo abatido em Itália depois de perseguir casal gera protestos por parte de ativistas

A proteção dos lobos volta a estar em debate na Europa