ISW diz que Rússia está a preparar-se para conflito com a NATO

Guerra na Ucrânia
Guerra na Ucrânia Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Think tank" norte-americano acredita que Putin está a prever conflito de grande escala com a aliança militar ocidental.

PUBLICIDADE

A Rússia está a preparar-se para um conflito convencional em grande escala com a NATO, afirma o Institute for the Study of War (ISW), depois de ter analisado vários indicadores financeiros, económicos e militares russos.

O "think tank" dedicado ao estudo das matérias da defesa, com sede em Washington, salienta ainda que este conflito não está iminente mas acontecerá, provavelmente, num prazo mais curto do que alguns analistas ocidentais inicialmente supuseram.

Vladimir Putin está provavelmente a tentar criar condições para estabilizar a posição financeira da Rússia a longo prazo a um nível mais elevado de despesa pública, enquanto as forças armadas russas continuam a empreender reformas estruturais para apoiar simultaneamente a guerra na Ucrânia e expandir as capacidades convencionais da Rússia a longo prazo, em preparação para um potencial conflito futuro em grande escala com a NATO.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, delineou vários esforços em curso para reforçar as capacidades militares convencionais da Rússia. E também afirmou que os militares russos planeiam formar dois exércitos de armas combinadas, 14 divisões e 16 brigadas até ao final de 2024.

O ISW continua a considerar que a Rússia não dispõe atualmente dos efetivos, das infraestruturas militares e capacidade de formação necessários para equipar adequadamente várias divisões inteiramente novas com formações a nível de exército, colocando-as na sua forma máxima a curto ou médio prazo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia intensifica ataques com drones contra a Rússia

Ucrânia vai receber lucros de ativos russos congelados na UE

Se as grandes empresas de tecnologia se unirem a Ucrânia poderá derrotar a Rússia mais rapidamente, diz Kiev