Massacre de Bucha: dois anos depois, há feridas difíceis de sarar

Oleksandr Turovskyi, pai de Sviatoslav Turovskyi, levou flores frescas para o local onde o corpo do seu filho foi abandonado, em Bucha, na Ucrânia
Oleksandr Turovskyi, pai de Sviatoslav Turovskyi, levou flores frescas para o local onde o corpo do seu filho foi abandonado, em Bucha, na Ucrânia Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

509 civis, incluindo 12 crianças, foram mortos em Bucha nos primeiros dias da invasão russa.

PUBLICIDADE

Os habitantes de Bucha, nos arredores de Kiev, na Ucrânia, estão a tentar regressar às suas vidas, dois anos após a libertação da cidade da ocupação russa.

Segundo as autoridades locais, 509 civis, incluindo 12 crianças, foram mortos em Bucha nos primeiros dias da invasão da Ucrânia.

Vidas destroçadas, famílias desfeitas e feridas difíceis de sarar para os sobreviventes.

Oleksandr perdeu o seu filho, um soldado voluntário ucraniano morto pelas tropas russas. Svyatoslav tinha 35 anos de idade.

Oleksandr Turovskyi, pai de um soldado ucraniano morto em Bucha pelas tropas russas
Oleksandr Turovskyi, pai de um soldado ucraniano morto em Bucha pelas tropas russasAP Photo

"Os pais não devem enterrar os filhos. Não é justo.", lamentou Oleksandr.

Nataliia Verbova perdeu o marido, também ele um soldado voluntário. Está a lutar para que o governo lhe conceda o estatuto oficial de militar, para obter uma compensação financeira.

Nataliia Verbova perdeu o marido, um soldado voluntário morto em Bucha pelas tropas do Kremlin
Nataliia Verbova perdeu o marido, um soldado voluntário morto em Bucha pelas tropas do KremlinAP Photo

"O mundo não se deve esquecer de que há uma guerra na Ucrânia. O mundo não deve esquecer que a guerra levou muitas pessoas, soldados, civis, que deram as suas vidas sem mais nem menos. Foram baleados simplesmente porque estavam a andar na rua, porque estavam a conduzir um carro", disse Nataliia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Segundo aniversário da libertação de Bucha

Um ano depois do horror, Zelenskyy celebra partida dos russos de Bucha

Há um ano Bucha acordava para o horror com centenas de civis mortos pelas forças russas