EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Está à procura de um artigo online de 2013? Pode ter desaparecido por culpa deste fenómeno

Aceder a uma página Web
Aceder a uma página Web Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Anna Desmarais
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Um estudo do Pew Research Centre, sediado nos EUA, concluiu que quase 40% de todas as páginas Web criadas em 2013 já não estão acessíveis devido a um fenómeno a que chamam "decadência digital".

PUBLICIDADE

Se está à procura de um artigo online de 2013, é possível que não encontre. Uma nova investigação do Pew Research Centre, nos EUA, conclui que 38% de todas as páginas Web que existiam em 2013 já não estão acessíveis devido a um fenómeno a que chamam "decadência digital".

Quando os investigadores alargaram o período de tempo, descobriram que cerca de um quarto de todas as páginas Web criadas de 2013 a 2023 já não existem. Do total, 8 por cento dessas páginas foram criadas em 2023.

"A Internet é um repositório inimaginavelmente vasto da vida moderna... mas mesmo que os utilizadores de todo o mundo confiem na Web para aceder a livros, imagens, artigos noticiosos e outros recursos, este conteúdo por vezes desaparece da vista", lê-se no estudo.

A investigação definiu as ligações inacessíveis como uma página que já não existe num servidor anfitrião (mostrando uma mensagem de erro 404).

Os investigadores recolheram uma amostra aleatória de páginas Web do Common Crawl, uma pesquisa de arquivos da Internet que tira uma fotografia do aspeto da Internet num determinado momento.

A equipa recolheu uma amostra de cerca de 90 000 páginas da Internet por ano, de 2013 a 2023, para verificar se ainda existiam.

Na Wikipédia, descobriram que cerca de 54% das páginas analisadas tinham pelo menos uma ligação partida na secção de referências.

Cerca de 23% dos sites de notícias e 21% das páginas governamentais continham uma hiperligação com erro.

Os investigadores analisaram mais detalhadamente os sites governamentais e descobriram que a página web média tinha 50 ligações, muitas vezes para páginas HTTP seguras para mais informações. Os governos municipais eram os que tinham mais probabilidades de ter ligações partidas, com 29% dos seus sítios examinados com pelo menos uma ligação quebrada.

Na área das notícias, os investigadores encontraram aproximadamente a mesma quantidade de páginas com ligações inexistentes em sites com muito e pouco tráfego e, tal como nos sites das administrações públicas, a maioria estava ligada a sítios externos HTTP seguros.

A decadência também está a acontecer nas redes sociais, onde pouco menos de um em cada cinco posts no X (antigo Twitter) recolhidos numa amostra aleatória em tempo real de 4,8 milhões de posts não estavam disponíveis no site há mais de alguns meses, quer porque a conta de um utilizador foi eliminada, quer porque o post individual foi removido.

Era mais provável que uma publicação no X desaparecesse se fosse escrita em turco ou árabe ou se viesse de uma conta com "definições por defeito", como uma fotografia de perfil genérica ou uma biografia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Jornalista norte-americano Evan Gershkovich será julgado na Rússia por espionagem

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

EUA dizem estar a avaliar resposta do Hamas ao plano de cessar-fogo norte-americano na Faixa de Gaza