EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Putin ameaça a Alemanha: Rússia pode fornecer armas para atingir alvos ocidentais

Vladimir Putin
Vladimir Putin Direitos de autor Vladimir Astapkovich, Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP
Direitos de autor Vladimir Astapkovich, Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP
De  Euronews com AP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladimir Putin avisou Alemanha na quarta-feira que a utilização de armas fornecidas pelo Ocidente à Ucrânia para atingir alvos no território da Rússia é um "passo perigoso".

PUBLICIDADE

O presidente russo, Vladimir Putin, avisou a Alemanha na quarta-feira que o uso de armas ocidentais por parte da Ucrânia para atingir alvos no território da Rússia seria um "passo perigoso", ameaçando que Moscovo pode fornecer armas de longo alcance a outros para atingir alvos ocidentais.

Isso marcaria o seu envolvimento direto na guerra contra a Federação Russa, e reservamo-nos o direito de agir da mesma forma.
Vladimir Putin
Presidente da Rússia

Para o presidente russo, a decisão da Alemanha poderá arruinar as relações entre Berlim e Moscovo.

A Alemanha juntou-se recentemente aos Estados Unidos ao autorizar a Ucrânia a atingir alguns alvos em solo russo com as armas de longo alcance que está a fornecer a Kiev. A entrega de tanques alemães à Ucrânia foi um choque para muitos na Rússia, afirmou o líder do Kremlin.

Esta quarta-feira, cita a AP, um representante do Ocidente e um senador norte-americano afirmaram que a Ucrânia utilizou armas norte-americanas para atacar o interior da Rússia, ao abrigo de orientações recentemente aprovadas pelo Presidente Joe Biden.

A diretiva permite que as armas norte-americanas sejam usadas com o objetivo limitado de defender Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia. O representante não estava autorizado a comentar publicamente o assunto e falou sob condição de anonimato.

Ao responder a perguntas de jornalistas internacionais pela primeira vez desde a tomada de posse no mês passado para um quinto mandato, Putin também disse que nada mudará em termos das relações Rússia-EUA, independentemente de Biden ou Donald Trump ganharem as eleições presidenciais norte-americanas em novembro.

"Trabalharemos com qualquer presidente que o povo americano eleger", disse Putin, falando à margem do Fórum Económico Internacional de São Petersburgo

Questionado ainda sobre as perdas militares russas, Putin disse que nenhum país revelaria essa informação enquanto decorrem as hostilidades, mas afirmou sem fornecer detalhes que as baixas da Ucrânia são cinco vezes maiores que as da Rússia.

Além disso, alegou que a Ucrânia tem mais de 1.300 soldados russos em cativeiro e mais de 6.400 soldados ucranianos estão detidos na Rússia. As alegações não puderam ser verificadas por meios independentes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Instrutores franceses na Ucrânia são "alvo legítimo" da Rússia, diz Lavrov

Zelenskyy diz que Ucrânia será autorizada a atacar dentro da Rússia com armas ocidentais

Putin vai visitar a Coreia do Norte esta semana