Mulheres já podem nadar em topless em Berlim

Mulheres podem nadar sem a parte de cima coberta em piscinas na Alemanha
Mulheres podem nadar sem a parte de cima coberta em piscinas na Alemanha Direitos de autor Canva
De  Jonny Walfisz
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Medida decidida após caso polémico de nadadora francesa

PUBLICIDADE

Uma mulher de nacionalidade francesa ganhou um processo que permite fazer topless em piscinas públicas em Berlim.

Em 2022, Gabrielle Lebreton, que mora na capital alemã há mais de uma década, processou o estado de Berlim alegando ter sido discriminada quando seguranças na piscina Plansche, no bairro de Treptow-Köpenick, lhe disseram para se resguardar.

Lebreton estava com o filho de cinco anos quando foi convidada a sair da piscina. Na altura, lembrou que vários homens não foram considerados nus, apesar de usarem apenas a parte de baixo, mas a polícia foi chamada e a mulher acabou por ser expulsa do local.

Embora dissesse estar ciente das diferenças sociais entre homens e mulheres em topless na Alemanha, na época referiu ao semanário "Die Zeit": “para mim – e eu ensino isso ao meu filho – não existe essa diferença. Tanto para homens como para mulheres, o seio é uma característica sexual secundária, mas os homens têm a liberdade de tirar a roupa quando está calor e as mulheres não.”

Apesar de a piscina ter mudado a política depois, Lebreton desafiou o estado de Berlim sobre uma lei de 2020 contra a discriminação.

A Berliner Baederbetriebe, que administra as piscinas da cidade, respondeu esta semana concordando com o caso de Lebreton, forçando as piscinas públicas a permitir que as mulheres apanhem sol e nadem em topless.

“O gabinete do provedor saúda muito a decisão da Baederbetriebe, porque estabelece direitos iguais para todos os berlinenses, sejam homens, mulheres ou não-binários, e porque também cria certeza jurídica para os funcionários da Baederbetriebe”, disse Doris Liebscher, chefe do gabinete do provedor.

Berlim é a mais recente cidade alemã a dar o exemplo com códigos de vestuário mais relaxados em piscinas. Em 2022, Siegen, na Renânia do Norte-Vestefália, e Göttingen, na Baixa Saxónia, autorizaram nadar em topless em piscinas públicas.

Também no ano passado, Hanôver mudou as regras para exigir que só “órgãos sexuais primários” fossem cobertos em piscinas.

Em piscinas privadas como em Vabali, uma rede de spas de Berlim e Hamburgo, os utilizadores são obrigados a entrar sem qualquer roupa de banho, sendo permitidas apenas toalhas nos balneários.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Catalunha acaba com proibição de topless em piscinas públicas

Atriz Judith Godrèche pede inquérito aos abusos sexuais no cinema francês

Eurovisão 2024: Israel corre o risco de ser desqualificado?