EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

O cartaz da 10ª edição do Festival Internacional de Cinema de Sharjah para Crianças e Jovens

O cartaz da 10ª edição do Festival Internacional de Cinema de Sharjah para Crianças e Jovens
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  euronews
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O cartaz da 10ª edição do Festival Internacional de Cinema de Sharjah para Crianças e Jovens incluiu 80 filmes de 37 países.

PUBLICIDADE

O Festival Internacional de Cinema de Sharjah para Crianças e Jovenscontou com três estreias mundiais com a estreia regional de 43 filmes.

"O que este festival tem de especial é o facto de não o termos imaginado com uma ação de comunicação, com passadeira vermelha, luzes e desfile de estrelas. Trata-se sobretudo de inspiração, educação, de mostrar às crianças como podem tornar-se guionistas, realizadoras e atrizes na indústria cinematográfica", disse à euronews Sheikha Jawaher bint Abdullah al Qasimi, diretora do evento.

"Escolhemos 80 filmes para exibir este ano. Por outro lado, também temos debates com pessoas da indústria, produtores e cineastas. Como se trata de um evento destinado às crianças e jovens, temos sempre de acrescentar um pouco de entretenimento", acrescentou Sheikha Jawaher Bint Abdullah Al Qasimi.

As crianças gostam de refletir profundamente quando vêem um filme e falar sobre o que viram
Tariq Al Rimawi, realizador

Um menino, um tigre e o conflito na Palestina

A longa-metragem de animação Zoo, do realizador Tariq Al Rimawi, foi o filme escolhido para a abertura do festival. A obra tem como pano de fundo o conflito na Palestina.

"O meu filme retrata um rapaz que procura a sua bola no pior jardim zoológico do mundo. Encontra um pequeno tigre e tornam-se amigos. Depois, tentam encontrar um lugar seguro para brincar numa zona devastada pela guerra", contou o realizador. 

"Na minha perspetiva, a animação e o cinema não servem apenas para entretenimento. Servem também para transmitir mensagens de amor, paz e esperança, especialmente para as crianças que vivem numa zona de guerra, sobretudo em Gaza e na Palestina. Temos tendência a subestimar as crianças. Fazenos filmes engraçados. Mas, na verdade, as crianças gostam de refletir profundamente quando vêem um filme e falar sobre o que viram", disse à euronews Tariq Al-Rimawi.

Os filmes "devem responder" às perguntas das crianças

Um dos objetivos do evento é criar conversas estimulantes a partir da programação cinematográfica.

"As crianças e os jovens desta geração são muito mais inteligentes. Têm uma mente muito aberta. Colocam muitas perguntas. Por isso, os filmes devem responder a essas perguntas. Certificamo-nos de que temos sempre filmes que falam de questões sociais, económicas, alterações climáticas, refugiados, tudo o que está a acontecer no mundo. Por isso, não encobrimos tudo o que acontece, porque se o fizermos, elas vão vê-lo noutro sítio. Por isso, prefiro que o vejam na plataforma certa, onde podem conhecer pessoas, discutir e aprender e, um dia, fazer uma mudança", sublinhou Sheikha Jawaher Bint Abdullah Al Qasimi.

A arte dos efeitos especiais explicada às crianças

Os participantes têm a oportunidade de adquirir competências graças a uma série de ateliês sobre vários temas, da descoberta da arte de contar histórias, à maquilhagem e efeitos especiais.

"Algumas crianças têm talento, mas não sabem como revelar esse talento. Por isso, quando nos vêm a trabalhar, podem descobrir uma paixão pela maquilhagem, pelos efeitos especiais ou pela representação", frisou Rafeea Mohammed, maquilhadora de efeitos especiais.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Filmes gravados com smartphone e maratonas de hacking: O melhor do mundo criativo no Azerbaijão