EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Michael Douglas sugere que manifestantes anti-israel sofreram uma "lavagem cerebral"

Michael Douglas sugere que os manifestantes anti-israel no campus sofreram uma "lavagem cerebral" durante uma visita de solidariedade a Israel
Michael Douglas sugere que os manifestantes anti-israel no campus sofreram uma "lavagem cerebral" durante uma visita de solidariedade a Israel Direitos de autor Richard Shotwell/Invision/AP
Direitos de autor Richard Shotwell/Invision/AP
De  David MouriquandAP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Michael Douglas encontrou-se com o presidente de Israel, Isaac Herzog, e sugere que muitos manifestantes pró-palestinianos nos campus universitários americanos foram sujeitos a uma "lavagem cerebral".

PUBLICIDADE

O ator e produtor vencedor de um Óscar, Michael Douglas, fez uma visita de solidariedade a um kibutz israelita atingido pelo ataque do Hamas de 7 de outubro, que desencadeou a guerra de Israel contra o grupo militante islâmico.

Douglas encontrou-se com membros do Kibbutz Be'eri e visitou as casas queimadas destruídas no ataque de 7 de outubro. Be'eri foi uma das comunidades mais afetadas, com cerca de 100 pessoas mortas e 30 outras feitas reféns. Encontrou-se com famílias de reféns e visitou o local de uma festa onde mais de 300 pessoas foram mortas.

Também se encontrou com o presidente de Israel, Isaac Herzog, que ofereceu ao ator um colar de identificação israelita e um pequeno pin com uma fita amarela - símbolos de solidariedade para com as dezenas de reféns que permanecem em cativeiro no Hamas.

"É um momento muito difícil. Sente-se o choque profundo de toda esta experiência", disse Douglas, manifestando a esperança de que os reféns sejam libertados em breve. "Estamos felizes por estar aqui em apoio a Israel e por partilhar convosco o facto de os Estados Unidos serem definitivamente vossos aliados, tal como o nosso Presidente partilhou convosco. Espero que as últimas negociações sejam concluídas e que os reféns sejam libertados em breve".

Durante o seu encontro com Herzog, Douglas referiu também ter sentido um "grande choque" com a onda de protestos pró-palestinianos e anti-israelitas que varreu os campus universitários dos EUA desde 7 de outubro. O ator criticou os manifestantes pró-palestinianos nos campus universitários americanos, sugerindo que muitos deles foram sujeitos a uma "lavagem cerebral".

"Quando se tenta falar com muitos deles, não há educação, não há conhecimento", disse Douglas.

Douglas é o último de uma série de celebridades e políticos americanos que visitaram Israel e percorreram a zona sul perto da fronteira de Gaza desde 7 de outubro. O comediante Jerry Seinfeld descreveu recentemente a sua viagem como "a experiência mais poderosa da minha vida", enquanto a comediante Amy Schumer também esteve envolvida em campanhas nas redes sociais para pressionar a libertação dos reféns ainda mantidos em cativeiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Françoise Hardy, atriz e ícone da pop francesa, morre aos 80 anos

Retrato do rei Carlos III alvo de ativistas dos direitos dos animais

15 000 artistas europeus ganharam mais de 10 000 euros no ano passado com o Spotify