O cão mais velho do mundo era uma fraude? Guinness Records suspende título enquanto investiga

Bobi com os seus certificados de recorde mundial do Guinness para o cão mais velho.
Bobi com os seus certificados de recorde mundial do Guinness para o cão mais velho. Direitos de autor AP Photo/ Jorge Jeronimo
De  Angela Symons com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O Guinness World Records suspendeu o título de Bobi enquanto investiga as alegações a título póstumo.

PUBLICIDADE

Quando Bobi - "o cão mais velho do mundo" - celebrou o seu 31º aniversário no ano passado, o mundo festejou com ele. E quando faleceu em outubro, o mundo lamentou.

Mas agora o seu título recorde está a ser questionado.

Depois de veterinários e outros especialistas terem levantado suspeitas sobre a idade de Bobi após a sua morte, o Guinness World Records lançou uma investigação.

Enquanto a análise está a decorrer, suspendeu o título de Bobi e suspendeu temporariamente as candidaturas ao título de cão vivo mais velho do mundo e de cão mais velho de sempre.

"Enquanto decorre a nossa análise, decidimos suspender temporariamente os títulos de cão mais velho vivo e de cão mais velho de sempre até que todas as nossas conclusões estejam reunidas", disse o Guinness World Records à agência noticiosa Associated Press, por correio eletrónico, na terça-feira.

Porque é que a idade do cão mais velho do mundo é posta em causa?

Bobi era um Rafeiro do Alentejo de raça pura, uma raça portuguesa de cão de guarda de gado que vive normalmente entre 12 e 14 anos - os que têm peso a mais, como Bobi, muitas vezes não chegam a esta idade.

O Guinness World Records afirmou ter recebido correspondência de alguns veterinários questionando a idade do cão e registou os comentários públicos de veterinários e outros profissionais.

Os opositores afirmaram que a idade de Bobi dependia da palavra do dono, e os detectives com olhos de águia salientaram que as imagens online do cão dos anos 90 mostravam-no com patas de cores diferentes, segundo o jornal britânico The Guardian. A sua idade exacta não pôde ser verificada através de testes genéticos.

A revista de tecnologia e cultura Wired lançou uma investigação em dezembro que concluiu que a base de dados do governo português para registo de animais de estimação nunca tinha sido contactada para confirmar a idade de Bobi.

O recorde anterior pertencia a Bluey, um cão de gado australiano que morreu em 1939 com 29 anos e cinco meses de idade.

O dono de Bobi diz que as acusações são falsas

Bobi viveu toda a sua vida com a família Costa na aldeia rural de Conqueiros, em Leiria, no oeste de Portugal.

Escapou por pouco à morte depois de ter nascido num anexo onde guardavam lenha, em 1992.

O seu dono, Leonel Costa, alega que os veterinários estão a tentar manchar o legado de Bobi porque a ingestão de alimentos humanos foi citada como um dos seus segredos para a velhice - algo que muitas vezes não é recomendado pelos especialistas em animais de estimação -, noticia a agência Reuters.

O título de Bobi está atualmente em pausa enquanto o Guinness World Records procede à sua revisão, que, segundo o mesmo, não deverá durar mais de três meses.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Saquetas de chá, comida para levar e cachorros-quentes associados a níveis elevados de "químicos eternos", revela estudo norte-americano

Parlamento Europeu em desacordo com a ação dos Estados-Membros face à poluição

Ponto de viragem na Amazónia: 47% da floresta ameaçada pelas alterações climáticas e pela desflorestação