EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Estado de emergência declarado na Sicília devido à seca. Racionamento da água já está em marcha

Má manutenção da barragem e acumulação de sedimentos também desempenham papel crítico no problema da escassez de água
Má manutenção da barragem e acumulação de sedimentos também desempenham papel crítico no problema da escassez de água Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Região da Sicília declarou o estado de emergência devido à seca. A escassez de chuva e a má manutenção das instalações de irrigação levaram ao racionamento de água que afeta mais de 800 mil cidadãos.

PUBLICIDADE

A região sul da Sicília, na Itália, está a enfrentar uma das piores secas em quase 20 anos. Após meses de pouca chuva, a região declarou recentemente o estado de emergência com racionamentos de água implementados pela primeira vez em várias cidades na estação de inverno.

Os níveis de água neste lago fora de Palermo sofreram uma queda drástica. 

"Não chove muito e não chove de uma forma normal. Devido ao aumento das temperaturas, a água evapora-se e as barragens estão a ser esvaziadas. Os verões aqui são muito quentes, com temperaturas que chegam aos 45ºC. Por causa disso, as barragens ficaram com apenas 20% dos níveis globais de água que deveriam conter", explica Dario Cartabellotta, comissário especial para a emergência da seca na Sicília.

Mas as alterações climáticas não são a única razão por trás da crise hídrica da Sicília. A má manutenção da barragem e a acumulação de sedimentos também desempenham um papel crítico neste problema.

"Consórcios de gestão da água na Sicília, as únicas organizações responsáveis pela gestão da água para fins de irrigação, estão sob o controlo do Estado há mais de 30 anos. Durante três décadas, a região careceu de uma estrutura de gestão adequada, não há novos projetos e a manutenção não é efetuada de forma adequada", denuncia Massimo Gargano, diretor-geral da Anbi - Associação Italiana de Consórcios de Irrigação e Gestão de Água.

As autoridades locais descreveram a situação como realmente grave e dizem que centenas de famílias podem ficar sem água nos próximos meses, a menos que um novo plano de racionamento seja implementado o mais rápido possível.

"Cerca de 10% a 15% da água já está a ser racionada em 55 municípios. No entanto, a partir da próxima segunda-feira, o racionamento de água será implementado em mais de 93 municípios, afetando 850.000 habitantes. Em alguns casos, o racionamento poderá atingir 45%", indica Massimo Burruano, diretor operacional da Siciliacque, a empresa  responsável pela distribuição da água na região.

Com esses baixos níveis de água disponíveis, as distribuídoras temem ter que escolher entre fornecer à população ou aos agricultores.

A redução das fugas e a reutilização das águas residuais na agricultura também podem ajudar a resolver parte do problema, mas os efeitos destas soluções só se farão sentir a longo prazo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

No Dia Mundial da Água, especialistas alertam para a seca na Catalunha

Governo da Catalunha prepara-se para emergência de seca

Seca: Governo anuncia cortes no abastecimento de água no Algarve