EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Quem é Marine Tondelier? Conheça a líder dos Verdes que inspirou a França a votar contra a extrema-direita

A presidente do Partido Verde, Marine Tondelier, discursa na praça da República durante um protesto contra a manifestação nacional de extrema-direita.
A presidente do Partido Verde, Marine Tondelier, discursa na praça da República durante um protesto contra a manifestação nacional de extrema-direita. Direitos de autor AP Photo/Louise Delmotte
Direitos de autor AP Photo/Louise Delmotte
De  Rosie Frost
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A líder do Partido Ecologista, Marine Tondelier, tem sido uma das vozes mais destacadas na campanha eleitoral da esquerda.

PUBLICIDADE

A Nova Frente Popular (NFP), aliança entre as esquerdas e os verdes em França, emergiu como a força dominante nas eleições de domingo, contrariando a tentativa de Marine Le Pen de colocar a extrema-direita no poder.

O resultado foi um choque, depois de semanas de sondagens que previam uma vitória confortável do Rassemblement National (RN).

Com a esquerda a conquistar 182 lugares, a aliança centrista de Macron 168 e o RN de Le Pen 143, nenhum grupo conseguiu assegurar uma maioria, segundo dados do Ministério do Interior citados pelo jornal Le Monde.

A líder do Partido Ecologista, Marine Tondelier, tem sido uma das vozes mais destacadas na campanha eleitoral da esquerda e tem sido apontada como candidata ao cargo de primeira-ministra.

Logo no início, apelou a uma "frente republicana" contra a extrema-direita - um esforço conjunto que envolve a retirada de candidatos na segunda volta das eleições a favor daqueles que estão em melhor posição para derrotar a extrema-direita.

"Esta noite, a justiça social ganhou", disse Tondelier num discurso de vitória. "Esta noite, ganhou a justiça ambiental. Esta noite, o povo ganhou. E isto ainda agora começou".

Quem é Marine Tondelier?

Reconhecida pelo seu icónico blazer verde, Tondelier tem-se oposto à extrema-direita desde o início da sua carreira política, há cerca de 15 anos. É natural da antiga cidade mineira de Hénin Beaumont, no norte de França, que é gerida pelo RN.

Faz parte do 11.º círculo eleitoral de Pas-de-Calais - um círculo eleitoral que tem sido representado por Marine Le Pen desde 2017, sendo Tondelier apelidada de "a outra Marine".

Tondelier foi eleita como membro da oposição do conselho municipal da cidade em 2014, tendo feito ouvir a sua voz. Documentou as suas experiências de bullying e intimidação sob o comando de um presidente da câmara do RN no seu livro de 2017 "News from the Front". Lidera o Partido Verde francês desde dezembro de 2022.

A política de extrema-esquerda Clementine Autain, à esquerda, a Presidente do Partido Verde Marine Tondelier, à direita, e o Secretário-Geral do PS Olivier Faure, ao centro.
A política de extrema-esquerda Clementine Autain, à esquerda, a Presidente do Partido Verde Marine Tondelier, à direita, e o Secretário-Geral do PS Olivier Faure, ao centro.AP Photo/Thomas Padilla, File

Como veterana ativista contra a extrema-direita, Tondelier tem sido um elemento chave na criação da coligação de esquerda que conquistou a vitória na noite de domingo. Em poucos dias, tornou-se uma figura política popular.

Tondelier acusou o líder do RN, Jordan Bardella, de evitar um debate com ela, criticando-o ao dizer: "Ah OK, então é mesmo oficial, Bardella só quer debater com homens".

"A Nova Frente Popular também existe para melhorar a vossa vida quotidiana e tornar os vossos amanhãs possíveis", disse ela à rádio France Inter na segunda-feira, "e aqueles que esquecem a ecologia esquecem-se de si próprios".

O que significa a vitória dos Verdes para a ação climática em França?

Sem maioria, será difícil que as propostas legislativas da NFP sejam aprovadas no Parlamento. É provável que tenha de entrar noutra coligação, o que poderá diluir algumas das suas políticas.

A NFP reúne quatro partidos: França Insubmissa, PS, Verdes, e Comunistas.

Os planos da coligação incluem o investimento em energias renováveis, o desenvolvimento da energia eólica offshore e da energia hidroelétrica, o abandono da energia nuclear e a implementação de um plano climático que visa a neutralidade carbónica até 2050.

O programa da NFP também menciona um plano nacional de adaptação climática para proteger as pessoas e os seus bens, que inclui limites de temperatura para os trabalhadores ao ar livre em condições de calor extremo. Além disso, a coligação afirma que pretende reformar a política agrícola da União Europeia, que tem provocado divisões.

A derrota do RN também foi um alívio para os apoiantes do Pacto Ecológico Europeu. O líder Jordan Bardella tinha apelado ao governo francês para que "renunciasse" ao acordo e ao que descreveu como políticas ambientais "punitivas" da UE.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Centenas festejam em Paris na noite da segunda volta das eleições francesas

Eleições Francesas: vitória da esquerda provoca queda do euro

Eleições francesas: irá Macron imitar a coligação de von der Leyen?