EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia e China, os grandes desafios no futuro da NATO

Rússia e China, os grandes desafios no futuro da NATO
Direitos de autor STEPHANIE LECOCQ/AFP
Direitos de autor STEPHANIE LECOCQ/AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Chefes de Estado e de Governo reuniram-se em Bruxelas com o presidente dos EUA, Joe Biden, no quadro de uma nova era, menos tumultuosa, nas relações transatlânticas

PUBLICIDADE

O futuro da NATO passa por cerrar fileiras para fazer frente "aos novos desafios" vindos da Rússia e da China.

De visita a Bruxelas, para participar na cimeira de chefes de Estado e de Governo da Aliança Atlântica, o presidente dos EUA reforçou a importância de mais coordenação dos países que integram a organização, num contexto de ascensão da China.

Nunca antes se tinha usado uma narrativa tão marcante em relação a Pequim. A China é vista como uma ameaça em termos de segurança, com enfoque em minar o sistema global baseado em regulação.

"A China está a explorar rapidamente o arsenal nuclear com mais ogivas e um grande número de sistemas sofisticados de lançamento. A implementação da modernização nuclear é opaca. Está a cooperar do ponto de vista militar com a Rússia, inclusive através de exercícios da área euro-atlântica", sublinhou, em conferência de imprensa, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

Sobre a Rússia, o secretário-geral da NATO sublinhou que as relações estão no nível mais baixo desde a Guerra Fria. Stoltenberg descreveu o país como uma ameaça à segurança da Aliança.

A primeira visita de Biden para um encontro com os aliados da NATO serviu para "reforçar os laços transatlânticos", deixando para trás a turbulência herdada da administração Trump.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Celebrações marcam centenário do Partido Comunista Chinês

Putin espera "cimeira produtiva" com Biden

PP reúne milhares em Madrid contra Pedro Sánchez no lançamento da campanha para as europeias