EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

UE tem pacote de sanções preparado contra a Rússia se for preciso

UE tem pacote de sanções preparado contra a Rússia se for preciso
Direitos de autor Aris Oikonomou/AP
Direitos de autor Aris Oikonomou/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente da Comissão Europeia fala num pacote "robusto" pronto a ser ativado em caso de avanço da agressão contra a Ucrânia

PUBLICIDADE

Entre a via da diplomacia e das sanções, a Europa prepara-se para uma eventual invasão russa da Ucrânia. Em entrevista à Euronews, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, levantou o véu sobre respostas possíveis do bloco europeu em caso de ofensiva.

Efi Koutsokosta, Euronews - Não vemos sinais de um alívio das tensões, pelo contrário. EUA e **Rússia **continuam a reforçar tropas de ambos os lados. Considera que a diplomacia falhou e que a Europa caminha para uma guerra real?

Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia - Nunca devemos desistir de trabalhar na diplomacia porque, como a Rússia criou esta crise, fazemos tudo para que a diplomacia e o diálogo sejam bem-sucedidos. Mas também queremos deixar claro que, caso haja uma agressão militar da Rússia contra a Ucrânia, isso terá consequências graves e custos enormes para a Rússia. Preparámos um pacote de sanções muito robusto e abrangente.

Efi Koutsokosta, Euronews - Pode clarificar que pacote de sanções é esse?

Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia - Limitaria o acesso da Rússia aos mercados financeiros da União Europeia. Limitaria o acesso a bens e tecnologias cruciais de que necessita e que não podem ser facilmente fornecidos e substituídos. Por isso, deve ser do interesse da Rússia diminuir a tensão.

Efi Koutsokosta, Euronews - A Europa pode realmente dar-se ao luxo de impor sanções que poderiam colocar o abastecimento energético em risco?

Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia - Na verdade, seria uma situação grave, mas fizemos o nosso trabalho e estamos intensamente envolvidos na prevenção e preparação de tal situação. Criei uma parceria de segurança energética com o presidente dos EUA, Joe Biden. Na semana que vem haverá uma cimeira sobre esta segurança energética. Falámos com muitos fornecedores de gás natural liquefeito em todo o mundo que estão muito interessados em preencher a lacuna que a Rússia deixaria.

Efi Koutsokosta, Euronews - Em em relação à União Europeia no conjunto. Vemos os Estados-membros a tomarem a sua própria iniciativa. Por exemplo, o primeiro-ministro húngaro visitou Moscovo e o presidente russo Vladimir Putin e ele descreveu publicamente as exigências russas como razoáveis e as sanções como inúteis. Então, qual é a influência que a União Europeia como bloco tem nesta fase, nesta crise global?

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia - Há unidade e alinhamento muito forte dentro da União Europeia e no que diz respeito à Hungria até agora eles sempre apoiaram as sanções contra a Rússia e anunciaram que manteriam a unidade com o bloco se for necessário agir.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

PP reúne milhares em Madrid contra Pedro Sánchez no lançamento da campanha para as europeias

PM palestiniano quer "vaga" de países a reconhecer o Estado da Palestina

Macron visita a Alemanha. A primeira visita de Estado de um Presidente ao país em 24 anos