UE-Reino Unido: Liz Truss tem sido dura na relação pós-Brexit

Liz Truss na chegada à sede do Partido Conservador, em Westminster, depois de ganhar a liderança
Liz Truss na chegada à sede do Partido Conservador, em Westminster, depois de ganhar a liderança Direitos de autor Kirsty Wigglesworth/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Shona MurrayIsabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

UE-Reino Unido: Liz Truss tem sido dura na relação pós-Brexit

PUBLICIDADE

Bruxelas está a preparar-se para lidar com Liz Truss como futura primeira-ministra do Reino Unido, sendo que era vista como a mais beligerante dos candidatos no que se refere à relação com a União Europeia (UE).

Enquanto chefe da diplomacia britânica, a governante publicou o projeto de lei sobre o Protocolo da Irlanda do Norte, legislação que contesta o acordo juridicamente vinculativo que o Reino Unido negociou com a UE para o Brexit.

"Sabemos que o Reino Unido está numa situação económica difícil. Logo, existe a forte tentação de tentar distrair o público britânico com outra polémica - uma manobra de diversão, digamos - e a União Europeia seria o suspeito habitual. Estou um pouco preocupado com o que se seguirá, mas, no final de contas, será diferente do que acontecia com Boris Johnson? Não tenho a certeza", disse à euronews Phillippe Lamberts, eurodeputado belga dos Verdes.

Guerra na Ucrânia... guerra comercial?

Se Liz Truss mantiver uma abordagem pouco dialogante quando for primeira-ministra, tal poderá levar a uma guerra comercial,porque a UE poderás uspender partes do acordo, como retaliação.

Um cenário nada desejável, já que a guerra na Ucrânia continuará a criar enormes desafios na Europa.

"Penso que há algo na política britânica que está disfuncional e alguns dos efeitos manifestam-se na relação entre o Reino Unido e a UE. Tal dinâmica deveria ser impensável numa altura em que as democracias liberais colaboram para apoiar a Ucrânia na sua luta contra a Rússia. A Rússia está, claramente, a visar toda a democracia liberal, e não apenas a Ucrânia. Parece-me surreal que o Reino Unido não esteja claramente ao lado dos seus aliados", considerou Fabian Zuleg, analista do Centro de Política Europeia.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, congratulou Liz Truss, dizendo que "espera uma relação construtiva no pleno respeito por todos os nossos acordos".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Governo britânico anuncia novo pacote de reformas fiscais

Governo britânico altera estatuto pós-Brexit da Irlanda do Norte

Cólera dos agricultores em Espanha e França está para durar