EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Euroviews. UE tem de inverter a marcha em relação aos adolescentes que conduzem camiões

Fila de camiões na autoestrada A12 entre Berlim e a fronteira polaca em Frankfurt Oder, março de 2020
Fila de camiões na autoestrada A12 entre Berlim e a fronteira polaca em Frankfurt Oder, março de 2020 Direitos de autor AP Photo/Euronews
Direitos de autor AP Photo/Euronews
De  Antonio Avenoso
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor e não representam a posição editorial da Euronews.
Artigo publicado originalmente em inglês

Incentivar cerca de 13.500 adolescentes a começar a conduzir camiões seria perigoso, pois levaria mais condutores do grupo de maior risco ao volante dos veículos que causam a maior devastação quando se despistam, escreve Antonio Avenoso.

PUBLICIDADE

Imagine-se a conduzir um automóvel numa estrada rural à noite com os seus filhos a dormir no banco de trás. As condições são um pouco nebulosas e a visibilidade é reduzida.

De repente, um camião articulado de 40 toneladas vem na sua direção em sentido contrário. À medida que se aproxima, apenas uma linha branca pontilhada na estrada o separa, a si e à sua família, do esquecimento.

Quem é que quer ao volante desse camião? Um condutor com vários anos de experiência de condução em tais condições? E que tal um adolescente, acabado de sair da escola?

Lobby da indústria rodoviária quer os adolescentes ao volante

Desde 2006, a União Europeia tem recomendado sensatamente uma idade mínima de 21 anos para os condutores de camiões e de 24 anos para os condutores de autocarros.

Mas, nos últimos anos, a indústria do transporte rodoviário tem vindo a pressionar no sentido de baixar estes mínimos como forma barata de resolver a crise de recrutamento no setor.

Oferecer melhores condições, tempos de condução e de repouso mais razoáveis e menos tempo fora de casa estão fora de questão. Contratar jovens que abandonaram a escola está dentro.

O lobby do setor rodoviário funcionou. Com a bênção da UE, vários Estados-membros baixaram a idade mínima - geralmente para 18 anos para os condutores de camiões - desde que os jovens tenham completado uma formação profissional adicional para além dos exames práticos e teóricos exigidos.

Mas a cereja no topo do bolo para o setor dos transportes seria se todos os Estados-membros fossem obrigados a fazer o mesmo e os adolescentes pudessem conduzir camiões em todo o continente.

A Comissão Europeia estima que 13.500 jovens de 17 anos poderão começar a conduzir camiões. Seria de esperar que houvesse uma base científica sólida para esta proposta de alteração. Mas não há.
Camiões-cisterna são carregados com combustível em Wesseling, perto de Colónia, na Alemanha, em 2022.
Camiões-cisterna são carregados com combustível em Wesseling, perto de Colónia, na Alemanha, em 2022.AP Photo/Martin Meissner

O setor quer ir ainda mais longe e permitir que os jovens de 16 e 17 anos comecem a conduzir camiões acompanhados, para começarem a conduzir sozinhos assim que atingirem os 18 anos.

Em março passado, a Comissão Europeia cedeu à pressão e publicou uma proposta de revisão das regras relativas às cartas de condução que obrigaria os Estados-membros a oferecer um sistema de condução acompanhada que permitisse aos jovens de 17 anos conduzir um camião. Em dezembro, a Comissão dos Transportes do Parlamento Europeu apoiou esta medida.

A Comissão Europeia estima que 13.500 jovens de 17 anos poderão começar a conduzir camiões. Seria de esperar que houvesse uma base científica sólida para esta proposta de alteração. Mas não há.

O setor declara que não terá qualquer impacto na segurança rodoviária. Não forneceu quaisquer provas ou dados que sustentem essa opinião.

Estatísticas sobre jovens condutores de camiões são extremamente preocupantes

Pior ainda, a Comissão Europeia também não investigou devidamente esta questão.

A justificação para a alteração apresentada na avaliação de impacto oficial baseia-se no facto de um regime de condução acompanhada para condutores de automóveis de 17 anos na Alemanha ter revelado resultados positivos para a segurança rodoviária.

Isto não é suficiente. O trabalho de um condutor profissional de camiões é muito diferente da utilização ocasional de um automóvel. E quando um camião se despista, a devastação causada pode ser absolutamente catastrófica.

PUBLICIDADE

Um adolescente que provocasse um acidente deste tipo viveria com as consequências durante décadas. As famílias das vítimas nunca ultrapassariam a sua dor.

Esperamos que os deputados europeus reflitam sobre as implicações do que seria um grave retrocesso para a segurança rodoviária na Europa.
Um camião despistou-se durante fortes tempestades na autoestrada A71, perto de Erfurt, na Alemanha, em 2018.
Um camião despistou-se durante fortes tempestades na autoestrada A71, perto de Erfurt, na Alemanha, em 2018.AP Photo/Jens Meyer

No Conselho Europeu para a Segurança dos Transportes (ETSC), analisámos os dados disponíveis sobre os condutores de camiões adolescentes e estes são extremamente preocupantes.

A investigação da Associação Alemã de Seguradoras mostra que os condutores de veículos pesados com idades compreendidas entre os 18 e os 20 anos causaram um número muito mais elevado de colisões que resultaram em ferimentos, em relação ao número de licenças registadas para esse grupo etário, quando comparado com todos os outros grupos etários de condutores de veículos pesados.

O ETSC também analisou dados da Finlândia e da Polónia - outros países que autorizam condutores de camiões mais jovens - e os resultados são idênticos.

PUBLICIDADE

Um ano de condução de camiões acompanhada é melhor do que nada, mas é improvável que reverta os danos que estão a ser causados pelo aumento maciço do número de condutores de camiões com menos de 21 anos.

Uma ideia que deve ser travada

A ciência mostra que a inexperiência é apenas um dos múltiplos fatores que afetam os jovens condutores.

Entre os 15 e os 25 anos, os jovens passam por mudanças biológicas e sociais significativas. O desenvolvimento do cérebro está em curso ao longo deste período e não está completo antes dos vinte anos.

Por conseguinte, quando os jovens estão a aprender a conduzir, as suas capacidades cognitivas ainda não estão completamente desenvolvidas. Isto afeta a sua perceção e atitude em relação ao risco. 

PUBLICIDADE

O desenvolvimento cognitivo durante a puberdade pode levar a uma maior instabilidade emocional e a um comportamento mais assertivo.

Assim, enquanto utentes da estrada, os jovens tendem a apresentar comportamentos de risco e a ter uma menor perceção dos perigos que enfrentam.

A investigação biológica mostra que, aos 18 anos, as áreas do cérebro humano responsáveis pela integração da informação e pelo controlo dos impulsos ainda estão em desenvolvimento.

Incentivar mais 13.500 adolescentes a começar a conduzir camiões seria uma experiência vasta e perigosa, que levaria muitos mais condutores do grupo de maior risco ao volante de veículos que causam a maior devastação quando se despistam.

PUBLICIDADE

No próximo mês, a sessão plenária do Parlamento Europeu poderá decidir o destino desta proposta. Esperamos que os deputados europeus reflitam sobre as implicações do que seria um grave retrocesso para a segurança rodoviária na Europa. 

A condução de camiões por adolescentes é uma ideia que deve ser travada.

Antonio Avenoso é diretor executivo do_Conselho Europeu para a Segurança dos Transportes (ETSC)._

Na Euronews, acreditamos que todas as opiniões são importantes. Contacte-nos através de view@euronews.com para enviar propostas ou submissões e fazer parte da conversa.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Camião a hidrogénio da Mercedes faz 1000 km sem parar

Acidente com camião cisterna em Tanger faz mais de uma dezena de vítimas

Camionistas protestam na Argentina