EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

PSD vence legislativas antecipadas na Madeira sem maioria absoluta

Miguel Albuquerque celebra vitória nas regionais da Madeira
Miguel Albuquerque celebra vitória nas regionais da Madeira Direitos de autor Miguel Albuquerque via Facebook
Direitos de autor Miguel Albuquerque via Facebook
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Miguel Albuquerque, líder do PSD e anterior líder do Governo Regional, diz que está aberto ao diálogo com todos os partidos, mas não terá vida facilitada.

PUBLICIDADE

O PSD venceu as eleições legislativas regionais antecipadas da Madeira, falhando por cinco deputados a maioria absoluta.

Numa altura em que estão apuradas todas as freguesias, os dados oficiais provisórios indicam que o PSD de Miguel Albuquerque teve 36,13% dos votos e conseguiu 19 lugares no parlamento regional, que tem 47 deputados - a maioria absoluta exige 24 assentos.

O PS ficou em segundo lugar, elegendo 11 deputados ao conseguir 21,32% dos votos. Em terceiro, o Juntos Pelo Povo (JPP), com 16,89% dos votos e nove deputados eleitos e, em quarto, o Chega, que elegeu quatro deputados e teve 9,23%.

O CDS-PP conseguiu 3.96% dos votos e elegeu dois deputados, a IL (com 2,56%) e o PAN (com 1,86%) elegem um deputado cada um. Bloco de Esquerda e CDU não conseguiram nenhum deputado e foram os grandes derrotados das eleições.

No ano passado, nas anteriores regionais, o PSD e o CDS-PP, que concorreram coligados, elegeram 23 deputados, tendo depois assinado um acordo de incidência parlamentar com a única deputada do PAN para chegar à maioria.

PSD com dificuldades para chegar à maioria

As eleições antecipadas na Madeira realizaram-se oito meses após as legislativas anteriores, depois de o Presidente da República ter dissolvido o parlamento madeirense, na sequência da crise política desencadeada em janeiro, quando o líder do Governo Regional, Miguel Albuquerque, foi constituído arguido num processo em que são investigadas suspeitas de corrupção.

Albuquerque congratulou-se com a vitória "clara e inequívoca" mas precisará de apoios para chegar à maioria. André Ventura, líder do Chega, admitiu um acordo de governação, desde que os sociais-democratas mudem de líder, defendendo que Miguel Albuquerque não tem condições para ficar à frente do Governo Regional da Madeira. Rui Rocha, da Iniciativa Liberal, já veio dizer que "entendimentos com o PS ou com Miguel Albuquerque estão neste momento fora de questão".

O socialista Paulo Cafôfo sublinhou o "pior resultado de sempre do PSD" e garantiu que irá tentar recolher apoios à esquerda para uma coligação. "Pela primeira vez, temos a possibilidade de construir através de um acordo partidário um novo governo sem o PSD", destacou. O secretário-geral do JPP, Élvio Sousa, disse na noite de domingo que, para o partido, "Miguel Albuquerque e o PSD estão fora da equação".

O líder dos sociais-democratas disse estar disponível para dialogar com todos os partidos e realçou que a esquerda foi "copiosamente derrotada".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

É oficial. Marcelo marca eleições antecipadas na Madeira para 26 de maio

Miguel Albuquerque demite-se

Chuvas recorrentes encharcam flores e dificultam produção de mel em França