EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Democratas-cristãos e socialistas continuam em maioria no Parlamento Europeu

Mulher vota na Alemanha
Mulher vota na Alemanha Direitos de autor Andreas Arnold/(c) Copyright 2024, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Direitos de autor Andreas Arnold/(c) Copyright 2024, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Democratas-cristãos e socialistas mantém-se como as forças dominantes no Parlamento Europeu, apesar do crescimento da extrema-direita

PUBLICIDADE

Os quatro dias de votação nos 27 países da União Europeia foram o segundo maior exercício de democracia do mundo, a seguir às recentes eleições na Índia. E os resultados foram surpreendentes para alguns analistas, que não previam uma ascensão tão significativa da extrema-direita.

Os maiores derrotados foram dois dos líderes mais importantes do bloco comunitário: o presidente francês Emmanuel Macron, que acabou por dissolver a Assembleia Nacional em França, convocando eleições antecipadas, e o chanceler alemão Olaf Scholz, que pertence à família socialista, e obteve o pior resultado de sempre numas europeias.

Ainda assim, no Parlamento Europeu continuarão a dominar os democratas-cristãos e os socialistas, os dois grupos tradicionais e pró-europeus.

Outro dado relevante destas eleições foi a descida do partido dos Verdes, que perdeu votos para a extrema-direita: estima-se que tenham perdido cerca de 20 lugares no hemiciclo. Em 2019, tinham conseguido ser a quarta maior força no Parlamento Europeu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Partido de extrema-direita de Giorgia Meloni vence europeias em Itália com quase 30% dos votos

Europeias: PS com oito eleitos, mais um do que a AD; Chega desce a pique e vê IL muito perto

Emmanuel Macron anuncia eleições antecipadas depois de uma dura derrota nas eleições europeias