O que precisa de saber sobre as tempestades geomagnéticas que podem afetar a Terra

Esta imagem fornecida pela NASA mostra o Sol visto do satélite Solar Dynamics Observatory (SDO) no sábado, 23 de março de 2024.
Esta imagem fornecida pela NASA mostra o Sol visto do satélite Solar Dynamics Observatory (SDO) no sábado, 23 de março de 2024. Direitos de autor NASA via AP
Direitos de autor NASA via AP
De  Euronews and AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os meteorologistas espaciais esperam que erupção solar atinja a Terra na segunda-feira, provocando uma tempestade geomagnética e o aparecimento da aurora boreal.

PUBLICIDADE

Uma grande tempestade geomagnética poderá interferir com as comunicações de rádio na Terra na segunda-feira, alertaram os meteorologistas espaciais, depois de terem detetado uma explosão de plasma de uma chama solar na superfície do Sol.

Para os que procuram avistar a aurora boreal, a erupção solar vai permitir uma óptima visualização.

Não há razão para para preocupações, de acordo com o alerta emitido no sábado pela NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration ), a agência meteorológica dos EUA em Boulder, Colorado.

A tempestade pode interromper as transmissões de rádio de alta frequência, como as dos aviões que tentam comunicar com torres de controlo de tráfego distantes.

A maioria dos aviões comerciais pode utilizar a transmissão por satélite como apoio, disse Jonathan Lash, um analista do centro.

Atividade solar no seu ponto mais ativo

Os operadores de satélites poderão ter dificuldade em localizar as suas naves espaciais e as redes eléctricas também poderão ver alguma "corrente induzida" nas suas linhas, embora nada que não consigam suportar, disse.

"Para o público em geral, se o céu estiver limpo à noite e se estiver em latitudes mais elevadas, esta será uma óptima oportunidade para ver o céu iluminado", disse Lash.

De 11 em 11 anos, o campo magnético do Sol inverte-se, o que significa que os pólos norte e sul trocam de posição.

A atividade solar muda durante esse ciclo e está agora perto do seu ponto mais ativo, o chamado máximo solar.

Nessas alturas, as tempestades geomagnéticas do tipo das que chegaram no domingo podem atingir a Terra algumas vezes por ano, disse Lash. Durante o mínimo solar, podem passar-se alguns anos entre as tempestades.

Em dezembro, a maior erupção solar dos últimos anos perturbou as comunicações via rádio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Conheça a primeira modelo espanhola de IA

Peter Higgs, Prémio Nobel da Física que propôs o bosão de Higgs, morre aos 94 anos

Eclipse solar total atravessa a América do Norte. Recorde o momento