EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Alguns dos melhores locais do mundo para trabalhar à distância - dois deles situam-se na Europa

Uma mulher que trabalha à distância
Uma mulher que trabalha à distância Direitos de autor Mystockimages/Canva
Direitos de autor Mystockimages/Canva
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O trabalho à distância continua a ser popular, especialmente entre aqueles que podem viajar ao mesmo tempo.

PUBLICIDADE

Há mais europeus do que nunca a trabalhar à distância. Esta tendência foi muito acelerada pela pandemia de COVID-19, mas deverá continuar à medida que as pessoas experimentam novas formas de trabalho.

A investigação mostra que, em média, em toda a UE, 30% dos trabalhadores trabalharão regularmente a partir de casa em 2022, quer na íntegra quer num modelo híbrido, com estimativas anteriores que apontavam para 5,5% em 2019, antes do início da pandemia.

Desta população em crescimento, uma percentagem levará o trabalho remoto um passo mais além, deixando completamente o seu país de origem.

Com muitos países a atualizarem as suas infraestruturas técnicas e a oferecerem vistos para nómadas digitais, a economia global criou um modelo de negócio sustentável para muitos.

Um estudo recente dos especialistas em redes privadas virtuais ExpressVPN sugere 20 das melhores localizações no estrangeiro para expatriados, incluindo trabalhadores remotos e nómadas digitais, e duas delas estão na Europa.

Melhores localizações internacionais para trabalhadores remotos expatriados

Madeira, Portugal

À medida que outras cidades portuguesas, como Lisboa e Porto, testemunham um aumento dos custos e das multidões, a Madeira está a emergir como uma alternativa mais acessível para nómadas digitais e trabalhadores remotos estrangeiros.

O seu clima temperado e a localização à beira-mar tornam-na apelativa para expatriados e trabalhadores remotos que procuram uma cultura tradicional e uma cultura moderna no local de trabalho.

Devido às recentes melhorias nas infraestruturas, a Madeira afirma ter as velocidades de Internet mais rápidas de Portugal. Os trabalhadores estrangeiros à distância podem alugar instalações híbridas de "workation" que combinam habitação e espaço de trabalho. O aluguer de um apartamento com dois quartos começa em cerca de 850 euros por mês.

Balate Dorin/Canva
Funchal viewpoint, Madeira, PortugalBalate Dorin/Canva

Talin, Estónia

A capital da Estónia, Talin, situa-se ao longo da costa acidentada do Mar Báltico.

O clima é mais frio do que noutras cidades da lista, mas a infraestrutura digital avançada é apelativa para os trabalhadores remotos e para os nómadas digitais.

Com velocidades de Internet competitivas e acesso em linha a praticamente todos os serviços públicos, Talnn oferece uma alternativa económica às cidades europeias mais caras ou turísticas.

Uma das principais vantagens que a Estónia oferece aos nómadas digitais e aos trabalhadores à distância é uma política de residência e de vistos flexível. Os nómadas digitais podem candidatar-se ao estatuto de residência eletrónica, o que lhes permite possuir e gerir empresas sem a presença física necessária.

Bermudas

A ilha das Bermudas é tentadora para os trabalhadores remotos e nómadas digitais aventureiros que pretendem afastar-se completamente do ambiente empresarial tradicional.

Embora as Bermudas continuem a ser sobretudo um destino turístico conhecido pelas suas praias de areia cor-de-rosa, também apresentam uma capacidade de Internet competitiva e espaços de co-working bem equipados.

Para além disso, os códigos fiscais das Bermudas não incluem um imposto sobre o rendimento dos residentes. É possível aos trabalhadores à distância obterem um certificado Work From Bermuda, que lhes permite trabalhar e viver na ilha durante um período máximo de um ano.

Shunyu Fan/Canva
A view of BermudaShunyu Fan/Canva

Chiang Mai, Tailândia

Localizada nas colinas do norte da Tailândia, Chiang Mai tornou-se um destino popular para trabalhadores remotos e nómadas digitais mais jovens.

Existe uma forte cultura de expatriados e nómadas digitais em Chiang Mai, embora a Tailândia não disponha atualmente de um programa de vistos definido para nómadas digitais ou trabalhadores remotos temporários.

É também necessária uma autorização de trabalho do governo antes de os trabalhadores remotos estrangeiros poderem auferir qualquer rendimento no país. Um "visto especial de turista" permite que os viajantes de longa duração permaneçam na Tailândia por um período máximo de 270 dias.

PUBLICIDADE

A nómada digital Marjolein Dilven descreveu a sua experiência na Tailândia: " A Internet foi sempre impecável. Mesmo quando estávamos em pequenas ilhas no sul, tínhamos uma ligação suficientemente boa para fazer videochamadas e trabalhar à distância. O custo de vida na Tailândia é significativamente mais baixo do que nos EUA e as oportunidades de locais para trabalhar à distância são infinitas."

Bali, Indonésia

Muitas vezes referida como a "Ilha dos Deuses", Bali, na Indonésia, tornou-se um destino popular para nómadas digitais e trabalhadores remotos independentes.

A próspera comunidade internacional de Bali e a abundância de espaços de co-working facilitam a instalação de trabalhadores estrangeiros, a procura de alojamento e a criação de uma rede social dentro das fronteiras da cidade.

Está também previsto um visto para nómadas digitais em Bali.

O governo e os investidores privados melhoraram significativamente a sua infraestrutura digital, com acesso Wi-Fi amplamente disponível em áreas públicas e espaços de trabalho comuns.

PUBLICIDADE

Jessica Bishop, autora e fundadora da The Budget Savvy Bride, recorda as suas experiências.

"Há mais de cinco anos que levo uma vida de nómada digital, trabalhando remotamente (....) Passei algum tempo no Sudeste Asiático, em Inglaterra, na Europa, nos EUA e no México. A qualidade e o custo de vida foram os principais fatores que me levaram a escolher este estilo de vida. O meu local preferido foi Bali, na Indonésia. Passei lá cerca de seis meses". 

No entanto, alguns trabalhadores remotos internacionais e nómadas digitais manifestam algumas reservas quanto a trabalhar em Bali.

Quando questionada sobre as suas experiências pessoais em Bali, Marjolein Dilven, da Radical FIRE, afirmou: "Embora esperasse que Bali fosse um ótimo local de trabalho remoto, a ligação à Internet era muito irregular em comparação com quase todos os outros países do Sudeste Asiático. Além disso, o custo de vida não é assim tão baixo quando se fica nas zonas mais populares e turísticas."

Bangalore, Índia

A movimentada cidade de Bangalore tem sido apelidada de Silicon Valley da Índia devido à sua economia favorável, à tecnologia e à mão de obra local. Os trabalhadores remotos e os nómadas digitais podem facilmente encontrar um nicho na zona empresarial da cidade. O clima de Bangalore é relativamente ameno em comparação com outras regiões do país, o que o torna um ambiente mais confortável para os trabalhadores estrangeiros.

PUBLICIDADE

A Índia também oferece um visto de longo prazo para profissionais estrangeiros que procuram trabalhar remotamente. Embora não exista um programa de vistos específico para trabalhadores remotos temporários ou nómadas digitais, um visto de trabalho tradicional pode ser prolongado até cinco anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Itália, Eslovénia e Croácia: Nova linha de comboio oferece uma aventura ferroviária por apenas 8 euros

Cafés na Europa estão fartos de nómadas digitais que ocupam muito espaço

Baleias, ursos, linces: conheça os projetos que permitem aos turistas encontrar a vida selvagem de forma responsável na Europa