Funcionários da TGB protestam contra censura

Funcionários da TGB protestam contra censura
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Sindicato de trabalhadores da única estação de televisão do país entregou abaixo-assinado.

PUBLICIDADE

Os funcionários da televisão da Guiné-Bissau (TGB) anunciaram à direção de informação e ao Governo que doravante não vão admitir que haja censura às notícias, seja de que natureza for, como “tem acontecido ultimamente”, afirmam.

Francisco Indeque, presidente do sindicato dos trabalhadores da TGB, entregou à direção da única estação televisiva do país um abaixo-assinado por 88 funcionários, no qual informam que não vão admitir que haja mais censura na televisão.

O mesmo documento foi também entregue ao ministro da Comunicação Social, Victor Pereira.

“Dos 141 funcionários da televisão, 88 assinaram a petição. De agora em diante não vamos admitir censura ao trabalho de nenhuma entidade, seja ela política ou social”, observou Francisco Indeque.

Segundo disse, desde a criação da TGB, em 1989, “nunca se viu tanta censura como agora”.

“Os responsáveis da televisão chegam a ir para a regie atrás do jornalista para o coagir sobre as partes de notícias que devem cortar”, declarou Indeque, para frisar que os jornalistas decidiram dizer “um basta à censura”.

Com Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Junta militar do Níger responde com demonstração de força ao fim do prazo do ultimato

Presidente do Níger detido em tentativa de golpe de Estado

Presidente do Níger denuncia tentativa de golpe