A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Alberto Fernández, o "Kirchnerista", vence eleições primárias na Argentina

Alberto Fernández, o "Kirchnerista", vence eleições primárias na Argentina
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Chamam-lhe o candidato "Kirchnerista" por estar na corrida às presidenciais da Argentina com a ex-presidente Cristina Kirchner - candidata à vice-presidência - e acabou de vencer as eleições primárias abertas com 49,19% dos votos.

Alberto Fernández, do partido opositor "Frente de Todos" venceu com vantagem. Quer traçar uma nova história para o futuro da Argentina, mesmo com um apoio do passado.

"Não viemos aqui para restaurar um regime, mas sim para criar uma nova Argentina, que leve em conta melhores experiências, que ponha fim a esta época de mentiras e que dê aos argentinos um horizonte melhor para o futuro", admitiu Alberto Fernández no discurso de vitória.

Alberto Fernandez era o grande candidato à vitória desta "amostra" para as presidenciais de outubro. As sondagens apontavam vantagem mas não com uma diferença de 16% de Mauricio Macri.

O atual presidente foi a grande derrota da noite com 33,12% das escolhas dos argentinos.

Macri fala destes resultados como um "regresso ao passado" e, durante as primeiras declarações pós-resultados, num futuro mais brilhante.

"O nível de dificuldades que tivemos de enfrentar nos últimos anos trouxe muita angústia a muita dúvida, mas insisto, estou aqui para ajudar, estou aqui porque amo este país", disse Macri.

Uma derrota contra um candidato que se assume moderado, com uma força que, segundo os analistas, poderá traçar para a Argentina um caminho político populista de esquerda.

Resultados chegam aos mercados

O peso argentino caiu 30% em relação à moeda norte-americana. Um dólar equivale hoje a 60 pesos, comparando com os 45 pesos que valia antes dos resultados serem divulgados.

A queda do peso levou alguns bancos privados a suspenderem operações de câmbio.