Novo primeiro-ministro maltês reconhece "erros" na governação

Novo primeiro-ministro maltês reconhece "erros" na governação
Direitos de autor AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Robert Abela toma posse e assume "erros" na recente governação, mas há ainda perguntas por responder sobre a morte da jornalista Daphne Caruana Galizia.

PUBLICIDADE

A penitência foi um dos primeiros sinais enviados pelo novo primeiro-ministro de Malta, que tomou posse esta segunda-feira. Robert Abela, um advogado de 42 anos, reconheceu que tem havido "erros" na governação trabalhista do país e garantiu como prioridade "o reforço do Estado de direito". Mesmo assim, não escondeu que pretende dar continuidade ao projeto global do executivo anterior.

Abela assumiu a liderança do Partido Trabalhista, impondo-se numa corrida interna perante o vice-primeiro-ministro, Chris Fearne, que era no entanto dado como favorito.

A queda em desgraça do ex-chefe de governo, Joseph Muscat, surgiu na sequência de um autêntico tumulto nesta ilha mediterrânica. Muscat foi acusado de ingerências nas investigações do homicídio da jornalista Daphne Caruana Galizia, em outubro de 2017.

Mais concretamente, Muscat terá protegido o seu chefe de gabinete e o então ministro do Turismo, alegadamente envolvidos no assassinato da repórter. Daphne Caruana Galizia denunciou vários escândalos de corrupção e morreu no interior de um carro armadilhado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lisboa juntou-se a milhares de europeus no apoio à Ucrânia dois anos depois da invasão russa

Novas sanções contra Moscovo na sequência da morte de Alexei Navalny

Ucrânia: dois anos de guerra