Última hora
This content is not available in your region

Coronavírus avança em África

euronews_icons_loading
Coronavírus avança em África
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Sobe para nove o número de mortes causadas pelo surto de covid-19 em África

Os últimos dados disponibilizados pela Organização Mundial da Saúde indicam que pelo menos 26 países registaram casos positivos, tendo o Egito e a África do Sul o maior número de casos confirmados.

Egito

No Egito registaram-se até ao momento 126 casos de infeção pelo vírus Covid-19. O Governo egípcio decretou o encerramento das escolas, universidades, e cancelou reuniões sociais, orações em massa e atividades desportivas.

Segundo Javier Guarda da Organização Mundial da Saúde, os países em África com maior número de casos confirmados de infeção por Covid-19, são aqueles considerados uns hub aéreo em África. E que em nenhum momento cancelaram voos provenientes de países já na altura considerados de alto risco.

Esclareceu igualmente que no caso do Egito o número elevado de casos confirmados de infeção por Covid-19 não deve ser considerado um evento ligado ao país por se tratar de casos provenientes de um navio. O representante da OMS garante que o Egito não apresenta evidências de contaminação comunitária.

África do Sul

Já na África do Sul onde registaram-se até ao momento 61 casos confirmados, o país declarou estar em "desastre nacional sem precedentes" e a partir desta terça feira, 35 dos 53 portos terrestres que dão acesso ao país serão fechados, assim como dois dos seus oito portos marítimos.

O ministro da saúde da África do Sul, Zweli Mkhize disse que "O risco de transmissão interna está agora a instalar-se", referiu um dia depois de o país ter registado 61 casos, todos provenientes do exterior do país.

Moçambique

Moçambique, não registou até ao momento casos confirmados, mas acionou um plano de contingência para tentar travar o acesso de pessoas provenientes de países com elevado número de infetados.

De acordo Djamila Cabral representante da OMS em Moçambique, o país possui dois mil testes disponíveis e um laboratório com as recomendações da OMS, para efetuar as análises a nível local. Até ao momento foram efetuados apenas dez testes todos com resultado negativo.

Angola

Depois das restrições para os passageiros provenientes da China, Coreia do Sul, Irão e Itália, a partir desta segunda companhia aérea TAAG cancelou temporariamente os voos para a cidade do porto. De acordo com o secretário de estado da saúde Franco Mufinda Angola acaba de entrar para a segunda fase do plano de contingência que é a fase epidémica, depois de ter ultrapassado a primeira fase, a pré-epidémica.

Cabo Verde

Em entrevista a Euronews Daniel Almeida analista e jornalista em Cabo Verde, disse que desde o eclodir da crise relacionada com o Corona Virus (COVID-2019) na China, o Governo de Cabo Verde vem adotando medidas de prevenção para evitar a propagação da doença no arquipélago. Até ao momento não se registou nenhum caso de infeção por Covid-19 em Cabo Verde.

Uma primeira medida foi adotada em finais do mês de Janeiro, com os estudantes que regressaram voluntariamente da China a serem colocados em quarentena voluntária, na sua próprias residências.

O primeiro caso suspeito foi revelado no dia 3 deste mês. Trata-se do escritor e prémio Camões, Germano Almeida, que terá apresentados sintomas gripais após ter regressado de Portugal, onde participou num evento no qual esteve presente o escritor chileno, Luís Sepúlveda e esposa, ambos com coronavírus. As amostras foram enviadas para o Instituto Ricardo Jorge, em Portugal, mas o resultado foi negativo.

No dia 28 de Fevereiro o Conselho de Ministros aprovou um plano de emergência e mobilizou cerca de 750 mil euros para a luta contra a epidemia do novo coronavírus. Esse montante visa a aquisição de materiais e equipamentos, recrutamento de mão-de-obra necessáriae recursos humanos para dar respostas e enfrentar o surto pandémico. Para o efeito, foram cortadas verbas nos vários ministérios, previstas no Orçamento do Estado para 2020, essencialmente nas rubricas de “deslocação e estadas” de membros do executivo.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.