Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de quinta-feira, 21 de maio

Líder indígena Kretan Kaingang durante um protesto pela destituição do presidente do Brasil
Líder indígena Kretan Kaingang durante um protesto pela destituição do presidente do Brasil   -   Direitos de autor  AP Photo/Eraldo Peres
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia já infetou mais de 5 milhões de pessoas em pelo menos 188 países, à data de hoje.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, este novo coronavírus estará ligado a mais de 329 mil mortos. Pelo menos 1,5 milhões de pessoas já recuperaram da doença provocada pelo SARS-CoV-2.

Resumo do dia:

Contaminação na América Latina já é mais rápida do que na Europa e nos EUA;

Jair Bolsonaro tenta aproximação a governadores com Brasil nos 19 mil mortos;

África ultrapassa os três mil mortos e Egito destaca-se;

Itália consegue baixar dos 10 mil doentes hospitalizados;

Espanha sofre menos de 50 mortes em 24 horas;

Portugal tem mais de 3.300 profissionais de saúde infetados;

EUA tem quase 40 milhões de desempregados devido à epidemia.

Recorde aqui as últimas notícias:

20h30 (CET) Contaminação acelera na América Latina

A América latina registou um ritmo mais alto de infeções pelo novo coronavírus do que os Estados Unidos, o país de longe mais afetado pela pandemia, e que a Europa, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins e da Organização Mundial de Saúde, ambas usando dados oficiais.

As atualizações de casos no Peru, no México e, sobretudo, no Brasil, contribuíram para essa subida. A região somou mais 32.854 casos de quarta para quinta-feira. Mais de metade no Brasil.

Os EUA registaram, no mesmo período, 22.534 novas infeções e a Europa, Rússia incluída, registou 17.900.

20h00 (CET) Paraguai mantém as fronteiras fechadas com o Brasil

O Presidente do Paraguai reiterou hoje a decisão de manter as fronteiras com o Brasil fechadas enquanto o país vizinho demonstrar "uma forte propagação da covid-19", quando o Paraguai está numa fase de contenção, com apenas três novos casos no último registo.

"[As fronteiras] vão continuar fechadas, principalmente devido à situação epidémica que os nossos vizinhos estão a passar, principalmente os nossos irmãos do Brasil (..). Isso força-nos a continuar a ter estas medidas restritivas", disse Mario Abdo Benítez.

"Enquanto a propagação do vírus não for controlada, não vamos poder abrir as fronteiras", sublinhou o chefe de Estado durante uma visita à cidade de Villarrica.

19h40 (CET) Quebra na receita de impostos federais de quase 30% no Brasil

A arrecadação de impostos federais no Brasil no mês passado totalizou 101,1 mil milhões de reais (16,4 mil milhões de euros), devido ao impacto da covid-19, representando uma queda de 28,95% face ao mesmo período de 2019, descontada a inflação.

Os dados, divulgados hoje pela Receita Federal brasileira, mostram que no período de janeiro a abril a arrecadação de tributos federais totalizou 502,2 mil milhões de reais (82 mil milhões de euros), dado que indicou uma queda de 7,45% face ao ano passado, já descontada a inflação.

"O resultado tanto do mês quanto do período acumulado foi bastante influenciado pelos diversos diferimentos decorrentes da pandemia de coronavírus", lê-se num relatório sobre a arrecadação de impostos publicado pela Receita Federal.

19h35 (CET) Moratória no regime de rendas aprovada no Parlamento

A proposta de lei do Governo que prolonga até 01 de setembro o regime que permite aos inquilinos em dificuldades recorrer a um empréstimo para pagar a renda ou diferir o seu pagamento foi hoje aprovada no parlamento.

A proposta foi aprovada com o voto favorável do PS, BE, PAN e da deputada não inscrita e a abstenção do PSD, CDS-PP, PCP, PEV e Iniciativa Liberal.

Em causa está prorrogação até setembro dos prazos inicialmente previstos na lei aprovada em abril – que estabeleceu o “regime excecional para as situações de mora no pagamento da renda devida nos termos de contratos de arrendamento urbano habitacional e não habitacional, no âmbito da pandemia covid-19” – no que diz respeito ao recurso ao empréstimos junto do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) por parte dos arrendatários habitacionais com quebras de rendimentos e ao diferimento do pagamento da renda por parte dos inquilinos não habitacionais.

19h30 (CET) França soma mais 83 mortes e meio milhar de novas infeções

O número total de mortos em França devido à covid-19 é de 28.215, com mais 83 óbitos registados nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde francês.

Do total de vítimas mortais causadas pelo vírus, 17.870 foram registadas em unidades hospitalares e 10.345 ocorreram em lares de idosos e centros para pessoas que, por motivos de saúde ou incapacidade, necessitam de prestação de cuidados constantes.

Atualmente há 17.583 pessoas hospitalizadas em França devido ao vírus e 1.745 desses pacientes estão internados nos cuidados intensivos.

Nas últimas 24 horas foram confirmados 504 novos casos no país, elevando assim o número total desde o início da pandemia para 144.163, com 63.858 pessoas curadas.

França é atualmente o quarto país no mundo com mais mortos devido ao vírus a seguir aos Estados Unidos (93.439 mortos), Reino Unido (36.042 mortos) e Itália (32.486 mortos)

19h00 (CET) África já registou mais de 3.000 mortes no quadro da pandemia

Os registos do Centro de Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) em Á´frica ultrapassaram hoje a fasquia dos 3.000 mortos no quadro da Covid-19.

De acordo com o mapa de casos do CDC Africa, pelas 19 horas (CET), o continente registava 96.829 casos de infeção confirmados, incluindo 3.031 mortes e 38.334 pessoas recuperadas da infeção.

A África do Sul continua a ser o país com mais infeções, mais de 19 mil, e com mais recuerados, quase nove mil; o Egito é o país com mais mortes, 680.

18h50 (CET) Moçambique recebe compensação internacional de €457 milhões

Um conjunto de parceiros da comunidade internacional vai compensar o impacto da covid-19 em Moçambique, onde estão registados 162 casos, com um apoio de aproximadamente 500 milhões de dólares (457 milhões de euros), anunciou hoje o grupo em comunicado.

O valor inclui "309 milhões de dólares [282 milhões de euros] do Fundo Monetário Internacional (FMI) e seus Estados-membros", já anunciados em abril, "bem como programas planeados pelo Banco Mundial e pelo Banco Africano de Desenvolvimento".

18h40 (CET) "Zungueiras" angolanas vão receber equipamento de higiene

Um total de 25 mil mulheres angolanas “zungueiras” (vendedoras ambulantes) e em situação de vulnerabilidade vão beneficiar de ‘kits’ de higiene, no quadro do combate à covid-19, doados pelo Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP).

A entrega simbólica desta doação, fruto da parceria entre o FNUAP e o Ministério da Ação Social, Família e Promoção da Mulher (Masfamu) de Angola, decorreu hoje em Luanda, no governo da província de Luanda, que recebeu 10 mil dos 25 mil ‘kits’ doados.

18h20 (CET) Itália sofre mais 156 mortes e regista mais 642 infeções

As autoridades de saúde de Itália anunciaram a morte de mais 156 pessoas infetadas pela Covid-19 e o registo de mais 642 casos diagnosticados de infeção, menos 36 do que os novos casos registados na véspera.

No total, desde o primeiro caso no país, Itália soma 32.486 óbitos e 228.006 casos confirmados de infeção.

Nos cuidados intensivos, estão 640 pacientes, menos 36 dos internamentos registados na quarta-feira. Hospitalizados são agora menos de 10 mil, enquanto mais de 51 mil pessoas recuperam da doença em isolamento domiciliário.

O número de pessoas recuperadas aumentou 2.278 e agora, no total, são 134.560 as que já tiveram alta em Itália.

18h10 (CET) Presidente Jair Bolsonaro pede diálogo aos governadores do Brasil

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, propôs hoje um amplo diálogo para superar a crise económica provocada pelo novo coronavírus numa reunião com governadores, prefeitos e chefes das duas casas do Congresso.

"Devemos dar continuidade ao esforço de todos na busca de mitigar problemas e alcançar aqueles que são afetados por essa crise, cujo tamanho ainda não sabemos e que até agora deixou quase 19 mil mortes no país e quase 292 mil casos", disse Bolsonaro.

O chefe de Estado, que protagonizou confrontos públicos com alguns governadores do país por discordar das medidas de isolamento social impostas para conter o avanço da covid-19, suavizou o tom, mas continuou concentrado nos efeitos económicos da pandemia.

Bolsonaro afirmou que vai aprovar o projeto do Congresso do país que prevê apoio financeiro para estados e cidades do país, estimado em cerca de 125 mil milhões de reais (20,4 mil milhões de euros), com vetos, incluindo itens do projeto que permitiriam aos governantes regionais conceder aumento de salário para funcionários públicos.

O Presidente brasileiro disse que pretende introduzir uma cláusula que congele os salários de todos os funcionários públicos federais, regionais e municipais até 31 de dezembro de 2021, ato considerado uma "cota de sacrifício" solicitada ao setor público num cenário de profunda crise, no qual trabalhadores informais e de empresas privadas foram os mais afetados.

18h05 (CET) Museus e cinemas antecipam a reabertura na Dinamarca

Museus, jardins zoológicos, teatros, cinemas e outros espaços culturais começaram a reabrir esta quinta-feira, na Dinamarca, antecipando a data inicialmente prevista de 08 de junho para a reabertura.

A decisão de antecipar a reabertura foi tomada após um acordo alcançado no parlamento dinamarquês no final de quarta-feira.

18h00 (CET) Praias em Portugal podem fechar se não for respeitado o "vermelho"

A instalação de semáforos à entrada das praias em Portugal é descrita como uma medida meramente informativa do estado de ocupação do areal em termos das medidas de distanciamento social ainda recomendadas para conter a epidemia no país, mas o incumprimento do sinal "vermelho" em três dias consecutivos pode levar as autoridades a encerrar as respetivas praias.

“O que fica claro, e que está na proposta do decreto-lei que ainda não foi publicada, é que, no caso de haver um incumprimento reiterado, um, dois, três dias seguidos, daquilo que é a lotação da própria praia, por razões apenas de saúde pública essa praia poderá ser encerrada”, disse o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, no final do Conselho de Ministros desta quinta-feira.

17h35 (CET) Espanha sofre menos de 50 mortes em 24 horas

Espanha registou 48 mortes no quadro da Covid-19 desde a atualização de quarta-feira. É o número diário mais baixo de óbitos desde que entrou em vigor o estado de emergência em 15 de março último, anunciou hoje o Ministério da Saúde espanhol.

De acordo com o balanço da pandemia atualizado, o país contabiliza um total de 27.940 óbitos desde que a doença foi declarada e 233.037 casos de infeção registados, com mais 344 novos casos de doença diagnosticados em 24 horas e confirmados pelo teste PCR, o mais fiável na deteção do novo coronavírus.

Os dados diários indicam ainda terem sido hospitalizados 140 doentes, aumentando para 124.521 o total de pessoas que até agora precisaram de ser internadas.

O uso de máscaras é a partir de hoje obrigatório em espaços públicos em Espanha, seja ao ar livre ou em espaços fechados, quando não for possível manter uma distância social de mais de dois metros e, se não for cumprida, pode levar a uma penalização.

17h30 (CET) Braço-de-ferro entre migrantes e autoridades portuguesas

O jornal Público noticia um braço-de-ferro entre grupo de 32 migrantes que estava na Base Aérea da Ota com as autoridades portugueses durante a transferência, na quarta-feira, para o Campo Militar de Santa Margarida.

Os requerentes de asilo, infetados com Covid-19 numa residencial de Lisboa, "terão sido surpreendidos", escreve o jornal, "com a transferência para outra base militar e recusaram-se a sair do autocarro que os transportou para Santa Margarida".

"Houve algumas hesitações devido à dificuldade de as pessoas entenderem que teriam de continuar em confinamento, pensavam que poderiam ficar já noutro contexto, mas como testaram positivo, vão ter de continuar em isolamento e o contexto militar é importante para a sua segurança”, afirmou ao Público fonte do gabinete da secretária de Estado para a Integração e Migrações.

O bloqueio terminou já hoje pela manhã.

17h20 (CET) Moçambique tem mais seis casos e continua sem mortes registadas

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais seis casos de covid-19, elevando o total de 156 para 162, mas sem vítimas mortais, anunciou a diretora de Saúde Pública, Rosa Marlene.

"São todos seis indivíduos de nacionalidade moçambicana, quatro dos quais apresentavam-se sem sintomatologia e dois com sintomas leves", declarou Rosa Marlene, falando durante a conferência de imprensa de atualização de dados sobre a pandemia no Ministério da Saúde, em Maputo.

O estado de emergência em Moçambique vigora desde 01 de abril, tendo sido decretado até final daquele mês e depois estendido até ao final de maio.

17h10 (CET) Artistas e profissionais da cultura protestam em Portugal

Profissionais das Artes e da Cultura estão desde as 09:00 de hoje em vigília em frente ao parlamento, em Lisboa, para “dar visibilidade” à luta de anos num setor cujas fragilidades a pandemia da covid-19 “tornou mais evidentes”.

O pedaço de passeio em frente à Assembleia da República está ocupado por dez pessoas que, de máscara e guardando a devida distância, seguram cartazes pretos onde se lê, a branco, como noutros locais do país onde a vigília se repete: “E se tivéssemos ficado sem Cultura?”.

17h00 (CET) Uma em cada 10 pessoas infetadas em África está na Cidade do Cabo

Uma em cada dez pessoas infetadas com a covid-19 em África está na Cidade do Cabo, África do Sul, o país do continente africano com mais casos do novo coronavírus.

O popular destino turístico no extremo sul de África tinha mais de 11.000 casos confirmados até hoje, representando 62% dos 18.000 casos da África do Sul e cerca de 10% dos 95.000 casos no continente

16h30 (CET) Brasil ultrapassa as 19 mil mortes e chega quase às 300 mil infeções

Depois de o Ministério da Saúde do Brasil ter somado mais 888 mortes ao quadro da epidemia no país e ter deixado, quarta-feira à noite, o total em 18.859 óbitos e 291.579 infeções confirmadas, o cálculo efetuado pelo portal G1, da Globo, esta quinta-fira, com base nos dados recolhidos junto das secretarias da Saúde dos diferentes estados indica que o país já soma 19.038 mortes e 294.152 casos de Covid-19 confirmados.

O Brasil é o terceiro país do mundo com mais casos de infeção confirmados e o sexto com mais mortes registadas no quadro da pandemia.

16h25 (CET) Reino Unido já ultrapassou os 36 mil mortos

O número de mortes atribuídas à pandemia de covid-19 no Reino Unido chegou hoje às 36.042, depois de ter registado 338 óbitos nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde britânico.

De acordo com o balanço feito hoje, o número de casos de contágio é de 250.908 após terem sido diagnosticados mais 2.615 infetados naquele que é o segundo país com mais mortos no quadro da pandemia.

16h20 (CET) Suécia sofre mais 40 mortes e regista mais 649 infetados

A Suécia anunciou hoje mais 40 mortes e 649 infetados no quadro da epidemia e elevou os totais de vítimas da epidemia no país para 3.871 mortos e 32.172 casos confirmados da doença, sugerindo ter sido o país europeu com mais mortes per capita na última semana.

16h15 (CET) Cabo Verde regista mais sete casos de infeção na Praia

Cabo Verde registou hoje mais sete novos casos de coronavírus, na cidade da Praia, num total de 356, enquanto a ilha da Boa Vista deixou de ter doentes ativos, segundo dados oficiais.

Em comunicado, o Ministério da Saúde cabo-verdiano divulgou que o Laboratório de Virologia analisou 152 amostras, referentes a parte dos dias 17 e 19 de maio, com os resultados a revelar mais sete novos casos na cidade da Praia.

Com esses resultados, a capital do país, o epicentro da epidemia, passa a ter um total acumulado de 289 casos.

16h10 (CET) Portugal vigia quase 400 mil pessoas no quadro da epidemia

Mais de 73 mil profissionais de saúde, com acesso à plataforma de dados 'Trace Covid', vigiam pelo menos 398 mil casos confirmados ou suspeitos de Covid-19 em internamento domiciliário, divulgou hoje o secretário de Estado da Saúde.

António Lacerda Sales, disse que passou a ser 73.520 o número de profissionais de saúde com acesso à plataforma e que são mais de 398 mil os casos confirmados ou suspeitos que se encontram em casa a ser vigiados pelas autoridades da saúde e, destes, 16 mil estão em “vigilância clínica”. “Todos os dias aumenta a vigilância de casos confirmados e suspeitos no domicílio”, disse o governante.

16h05 (CET) Surto em empresa da Azambuja já atinge 70 trabalhadores

Setenta trabalhadores da empresa logística da Sonae localizada no concelho de Azambuja, distrito de Lisboa, testaram positivo à Covid-19, disse hoje a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, durante a conferência de imprensa diária de balanço da pandemia.

“Os dois setores da Sonae que apresentaram casos positivos fizeram até à data 339 testes que permitiram identificar 70 pessoas positivas, sendo que estas 70 pessoas estão todas bem”, afirmou a diretora-geral da Saúde.

16h00 (CET) Hungria fecha campos de migrantes por ordem do tribunal europeu

A Hungria anunciou hoje o encerramento dos campos de migrantes nas respetivas "zonas de trânsito" junto às fronteiras, em linha com uma recente ordem do Tribunal Europeu de justiça, que exigiu a libertação dos requerentes de asilo retidos no campo de Röszke, na fronteira com a Sérvia, por considerar que estavam "retidos sem razão".

Os campos fechados por cercas de arame farpado são descritos como desumanos por ativistas de direitos humanos, retém centenas de requerentes de asilo instalados em contentores.

De acordo com uma lei nacional decretada em 2018, a Hungria passou a rejeitar automaticamente os pedidos de asilo às pessoas que atravessaram "países de travessia segura" como é o caso da Sérvia. Como o governo sérvio rejeito receber essas pessoas de volta, a Hungria reteve-as nesses campos fronteiriços.

15h55 (CET) Mais de 3.300 profissionais de saúde portugueses estão infetados

O secretário de Estado da Saúde revelou hoje que há 3.317 profissionais de saúde infetados com o novo coronavírus, responsável pela doença covid-19, entre os quais 480 médicos e 1.088 enfermeiros.

Somam-se 935 assistentes operacionais, 159 assistentes técnicos e 105 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica infetados, revelou António Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária de atualização de dados sobre a pandemia em Portugal.

Pelo menos mil profissionais de saúde portugueses já "venceram" o novo coronavírus e tiveram alta.

15h45 (CET) Manchester United perdeu quase €17 milhões devido à pandemia

O Manchester United, de Bruno Fernandes, anunciou os resultados operacionais do terceiro trimestre fiscal e revelou um impacto negativo de 15 milhões de libras (€16,7 milhões) devido apenas à perda das receitas dos direitos televisivos.

"Os rendimentos pela difusão durante o trimestre previam 26 milhões de libras esterlinas (€28,9 milhões) caíram 51,7% em relação ao mesmo período do ano passado, devido sobretudo à estimativa de 15 milhões de libras oriundas dos canais de transmissão" dos jogos da Liga inglesa, escreveu o clube em comunicado.

15h40 (CET) Espetadores fantasma em jogo da Bundesliga

Cerca de 13.000 cartazes representando silhuetas de pessoas estão já instalados nas bancadas do estádio do Borussia de Mönchengladbach para mudar a estética das bancadas do estádio durante a receção de sábado à tarde ao Bayer Leverkusen, em mais uma jornada disputada à porta fechada na Bundesliga, a liga alemã.

15h30 (CET) Três dezenas de infetados em fábrica da Renault de Marrocos

Uma campanha de despistagem da Covid-19 realizada pelo grupo Renault levou à deteção de 32 casos positivos de Covid-19 numa fábrica de Casablanca, em Marrocos, revelou a companhia-m~e em comunicado.

14h50 (CET) Holanda contam com 1.500 recuperados para ajudar a testar tratamento

A Holanda vai desenvolver o ensaio de um potencial tratamento da Covid-19 com cerca de 1.500 pessoas recuperadas do novo coronavírus. Os voluntários vão doar sangue para um tratamento com base no respetivo plasma.

Os investigadores esperam encontrar nos anticorpos ou proteínas desenvolvidos por estes antigos doentes nos respetivos sistemas imunológicos que sejam eficazes no combate ao SARS-CoV-2 em pacientes que tenham entretanto contraído o vírus, noticia a Reuters.

14h45 (CET) Mais 2,4 milhões pedem subsídio de desemprego nos EUA

Os Estados Unidos viram agravar o desemprego na semana passado com o pedido de subsídio de desemprego por mais 2,4 milhões de pessoas.

Numa altura em que Donald Trump pressiona pela reabertura progressiva do país e algumas empresas e estabelecimentos comerciais retomam a atividade, os últimos dados indicam existir agora quase 40 milhões de desempregados nos EUA, mais precisamente, 38,6 milhões avançou hoje o Departamento de Estado do Trabalho.

O ritmo da taxa de desemprego, embora já longe do pico de 6,6 milhões por semana do início de abril, continua a agravar-se a níveis nunca vistos desde a Grande Depressão dos anos 30 do século XX.

14h35 (CET) Portugal sofre mais 14 mortes e registou hoje mais 252 doentes

Direção-geral de Saúde anunciou hoje o registo em Portugal de mais 14 mortes associadas à Covid-19, numa taxa de crescimento de 1,1% em relação quarta-feira, e mais 252 casos de doença, elevando o total de infeções confirmadas no país a 29.912 infeções, numa taxa 0,8% de agravamento nos diagnósticos.

Portugal continua a ter menos de uma centena de pessoas nos cuidados intensivos, são atualmente 92, o valor mais baixo desde Março. Há mais 608 pessoas hospitalizadas, de acordo com o último boletim epidemiológico atualizado diariamente com os dados recolhidos até à meia-noite do dia anterior.

14h30 (CET) Liga de futebol alemã vai fazer um minuto de silêncio

Apesar de estar a realizar jogos à porta fechada e com um estranho silêncio durante as partidas, a Liga alemã decidiu decidiu prestar homenagem no fim-de-semana às vítimas do novo coronavírus, um tributo numa altura em que o próprio regresso do futebol se mantém por um fio, escreve a France Press.

Embora em melhor situação que os vizinhos Itália e França, a Alemanha já sofreu mais de 8.000 mortes e a epidemia continua a alastrar.

14h10 (CET) Médio do Chelsea dispensado dos treinos de grupo por medo do coronavírus

O médio da seleção francesa N'Golo Kanté foi dispensado de participar nas sessões de treino coletivas pelo Chelsea devido ao medo que sente do coronavírus, disse o clube inglês à France Press, confirmando a notícia do jornal The Telegraph.

14h00 (CET) Angola debate de "urgência" Lei de Bases da Proteção Civil

O parlamento angolano interrompeu hoje uma reunião plenária ordinária para discutir, "com urgência", na especialidade, a proposta de lei de alteração da Lei de Bases da Proteção Civil, que contempla a declaração de situação de catástrofe ou calamidade.

A declaração do estado de calamidade poderá ser aplicada em Angola findo o período de estado de emergência, que já está na terceira prorrogação e se prolonga até 25 de maio, que visa conter a propagação da covid-19.

Outras notícias do dia:

  • Os últimos 56 requerentes de asilo que se encontravam em quarentena na Base Aérea da Ota, em Alenquer, Portugal, foram transferidos na quarta-feira para vários locais, disse hoje à agência Lusa fonte oficial daquele município. Dos 56, 32 foram transferidos para a Unidade Militar de Santa Margarida, em Constância, no distrito de Santarém, e os restantes para Lisboa, separados em dois grupos de 16 e oito e divididos por dois locais diferentes na capital.
  • O primeiro-ministro de Itália pediu aos jovens para evitarem reuniões e festas e convidou os italianos a ficarem no país durante as férias, numa intervenção hoje no parlamento sobre a fase 2 das restrições devido à pandemia. “Faço um apelo a todos e principalmente aos jovens: agora não é o momento para festas e vida noturna. Agora, mais do que nunca, é necessário respeitar a distância de segurança e o uso de máscaras. Expor-se significa expor-se à infeção”, afirmou Giuseppe Conte na câmara dos deputados.
  • A Alemanha regista até hoje um total de 176.752 casos de covid-19, um aumento de 745 em relação ao dia anterior, e deverá assistir no fim de semana a novas manifestações contra as medidas de contenção. Segundo o Instituto Robert Koch (RKI), o país totaliza 8.147 vítimas mortais, uma subida de 57 nas últimas 24 horas. Há ainda 1.100 novos casos considerados curados, somando cerca de 158 mil.
  • A Bélgica registou nas últimas 24 horas 252 novos casos de infeção por covid-19, mais 60 do que no dia anterior, e 37 mortes, menos cinco, segundo dados oficiais hoje divulgados. De acordo com o boletim epidemiológico hoje divulgado, foram registados nas últimas 24 horas 252 novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, uma subida face aos 192 de quarta-feira, para um total de 56.235 desde o início da pandemia no país. O boletim indica ainda que nas últimas 24 horas foram registadas 37 mortes, face às 42 de quarta-feira, com um total de 9.186.
  • O número de mortos da covid-19 em África subiu hoje para os 2.997, com mais de 95 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente. De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortos subiu de 2.912 para 2.997, enquanto os infetados com o vírus da covid-19 passaram de 91.598 para 95.201. O número total de doentes recuperados aumentou de 35.808 para 38.075.

Mais de cinco milhões de casos de contágio pelo novo coronavírus

Estes dados mundiais foram compilados pela agência France Press, referem-se a todo o mundo, sendo que 70% correspondem à Europa e aos Estados Unidos.

Esta contagem do número de casos de infeção de covid-19 tem como base fontes oficiais e foi realizada às 07:30 de hoje. Pelo meio dia e meia, a Universidade Johns Hopkins registava também mais de cinco milhões de casos, quase 330 mil mortos e mais de 1,9 milhões de reuperados.

Nos dados da AFP, verificavam-se 5.006.730 casos de infeção de covid-19, entre os quais 328.047 mortos registados oficialmente, sobretudo na Europa.

O continente Europeu é o mais atingido pela doença contabilizando 1.954.519 casos de infeção e 169.880 mortes.

Os Estados Unidos têm 1.551.853 casos de contágio e 93.439 mortos.

De acordo com a France Presse o número de casos diagnosticados é apenas "uma fração" do número real de contaminações porque a maior parte dos países apenas testam os casos graves.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos estimem que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro. O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida. O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos. Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença. De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março. Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica.