Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de segunda-feira, 25 de maio

A health worker takes the temperature to a resident of Altos de San Lorenzo neighbourhood, near the city of La Plata, Argentina
A health worker takes the temperature to a resident of Altos de San Lorenzo neighbourhood, near the city of La Plata, Argentina   -   Direitos de autor  ALEJANDRO PAGNI/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Principais destaques desta segunda-feira:

  • OMS suspende "temporariamente" os ensaios clínicos com hidroxicloroquina que está a efetuar em vários países, como medida de precaução.
  • Espanha altera fórmula de cálculo das vítimas e retira quase 2.000 óbitos das contas
  • Reino Unido anunciou mais 121 óbitos e aproxima-se das 37 mil vítimas.
  • Estudo conduzido em Espanha aponta para a eficácia do antiviral Remdesivir
  • Portugal anuncia mais 14 mortes e 165 novos casos nas últimas 24 horas
  • Montenegro declara-se "livre" do novo coronavírus, após 20 dias sem novos casos de infeção

21h10 (CET) Reino Unido reabre comércio não essencial até 15 de junho

O Reino Unido tenciona reabrir lojas não essenciais até 15 de Junho, como parte de uma nova flexibilização das medidas de contenção introduzidas há cerca de dois meses para combater o novo coronavírus.

Até 15 de Junho, "pretendemos permitir a reabertura de todas as lojas não essenciais, desde os centros comerciais até às pequenas lojas independentes", afirmou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. No entanto, os salões de cabeleireiro e de beleza e o setor hoteleiro continuam fechados devido ao risco de transmissão nestes ambientes, segundo o governo.

20h40 (CET) Roma 'ameaça' com multas quem atirar a máscara de proteção para as ruas

O município de Roma aprovou hoje uma portaria que estabelece multas entre 25 e 500 euros para quem atirar máscaras ou luvas usadas na via pública para evitar a propagação do novo coronavírus.

"Nestes meses de emergência sanitária do coronavírus, os nossos ambientalistas denunciaram em numerosas ocasiões a recolha de luvas e máscaras usadas, atiradas ao chão por pessoas mal educadas", lamentou a presidente da câmara, Virginia Raggi.

20h15 (CET) Turquia confirma mais 29 mortes e 987 casos

O ministro da Saúde da Turquia confirmou hoje mais 29 novas mortes por covid-19, elevando o total de mortos para 4.369.

Fahrettin Koca também anunciou esta segunda-feira na rede social Twitter que 987 novas infeções foram confirmadas nas últimas 24 horas. O total acumulado de casos atingiu assim os 157.814.

19h45 (CET) Luxemburgo prepara-se para reabrir cafés e bares esta semana

O Luxemburgo reabrirá esta semana os seus cafés e restaurantes e voltará a permitir cerimónias civis ou religiosas, sob medidas de precaução rigorosas, anunciadas hoje pelo Governo.

O Grão-Ducado, que tem agora apenas quatro pacientes covid-19 internados nos cuidados intensivos (para 3.993 casos, incluindo 110 mortes), está gradualmente a permitir o regresso à vida social, desde que sejam respeitadas as medidas de distanciamento e higiene.

19h20 (CET) Irlanda sem óbitos por covid-19 pela primeira vez em mais de dois meses

De acordo com o Ministério da Saúde, a Irlanda não registou novas mortes pelo novo coronavírus na segunda-feira, a primeira desde 11 de Março.

"Nas últimas 24 horas não nos foi comunicada nenhuma morte nova", disse o diretor do Departamento de Saúde do país, Tony Holohan, numa conferência de imprensa. Registaram-se já 1.608 mortes na Irlanda, com uma população de 4,9 milhões de habitantes.

19h00 (CET) Reino Unido aproxima-se das 37 mil vítimas

O número de mortos da covid-19 no Reino Unido atingiu os 36.914 esta segunda-feira, após mais 121 mortes terem sido acrescentadas à contagem oficial, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde britânico.

Em todo o país foram realizados 73.726 testes em 24 horas, dos quais foram identificadas 1.625 novas infeções.

18h30 (CET) OMS suspende temporariamente ensaios clínicos com hidroxicloroquina

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje ter suspendido "temporariamente" os ensaios clínicos com hidroxicloroquina que está a realizar com parceiros em vários países, como medida de precaução.

A decisão do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, surge na sequência da publicação na passada sexta-feira de um estudo na prestigiada revista médica The Lancet, que considerou ineficaz ou mesmo prejudicial o uso de cloroquina ou seus derivados, como a hidroxicloroquina, contra a covid-19.

18h00 (CET) Itália regista 92 mortes e 300 novos casos

Itália anunciou hoje 300 novos casos, o número mais baixo desde os primeiros dias da pandemia, dos quais metade (148) correspondem à região da Lombardia.

O número total de casos desde que o vírus foi detetado em 21 de fevereiro é agora de 230.158, dos quais 141.981 foram curados e 32.877 resultaram em morte.

Já o número de mortes das últimas 24 horas é de 92, quase o dobro das 50 registadas no domingo, mas ontem não se registaram mortes da Lombardia porque os dados não tinham sido recebidos. Destes 92 óbitos, 34 correspondem a essa região, a mais duramente atingida em Itália.

17h30 (CET) Espanha revê cálculo das vítimas e retira quase 2.000 óbitos das contas

Espanha registou 50 mortes devido à pandemia de covid-19 nas últimas 24 horas, tendo agora um total de 26.834 óbitos desde que a doença foi declarada, anunciou hoje o Ministério da Saúde espanhol, que alterou também a forma de contabilização dos dados.

A mudança resultou numa descida de cerca de 2.000 vítimas da lista, que ontem apresentava um total de 28.752 óbitos.

Segundo os números divulgados, no total do país os novos casos não ultrapassam os 132, elevando para 235.400 o total de infetados até hoje.

17h00 (CET) Montenegro declara vitória sobre o SARS-CoV-2

Com um total de 324 casos desde o início da pandemia, o Montenegro declarou-se hoje um “país livre de coronavírus”, ao considerar que venceu a pandemia da covid-19 no seu território face à ausência de novos casos de infeção nos últimos 20 dias.

“Somos o último país europeu que registou um ‘primeiro caso’ da covid-19 e o primeiro que conseguiu erradicar o vírus!”, afirmou em comunicado oficial o ministro da Saúde, Kenan Hrapovic.

16h30 (CET) Estudo aponta eficácia do Remdesivir contra a covid-19

Um estudo realizado em Espanha hoje divulgado aponta a eficácia do antiviral Remdesivir no combate à covid-19 caso seja administrado antes do recurso à ventilação mecânica nos pacientes.

O `New England Journal of Medicine´ publicou os resultados deste estudo internacional com este medicamento, que, de acordo com os investigadores, reduziu em 31% o tempo de hospitalização dos pacientes com covid-19.

16h00 (CET) Espanha levanta quarentena para turistas estrangeiros a 1 de julho

Espanha vai levantar a quarentena até agora imposta a turistas estrangeiros a partir de 01 de julho, anunciou hoje o governo espanhol, que dá assim um novo passo no alívio das restrições impostas por causa da pandemia de covid-19.

Com 28.752 mortos e mais de 235 mil casos de infeção pelo novo coronavírus, Espanha é um dos países europeus mais afetados pela atual pandemia.

15h30 (CET) Suécia supera a fasquia dos 4.000 mortos por covid-19

A Suécia, que optou por uma estratégia mais suave contra a pandemia da covid-19, ultrapassou hoje, de acordo com os últimos dados oficiais, as 4.000 mortes causadas pela doença.

Com os 31 óbitos registadas nas últimas 24 horas, o número sobe para 4.029, com 33.843 infectados, informou a Agência Sueca de Saúde Pública, que destacou a consolidação da curva descendente de infeções, mortes, internados em cuidados intensivos e casos em lares de idosos.

15h00 (CET) Alemanha quer prolongar distanciamento social até 5 de julho

O governo alemão vai propor o prolongamento das medidas de distanciamento social até 5 de julho, por temer um novo crescimento súbito de infeções sem essas restrições.

O projeto de resolução define que a distância de segurança entre pessoas deve ser de 1,5 metros, além de prever a obrigatoriedade do uso de máscara “em determinados locais públicos” e a recomendação das reuniões privadas ao ar livre para diminuir o risco de contágio.

14h45 (CET) Itália anuncia recrutamento de 60 mil voluntários para controlar aglomerações

Itália vai começar esta semana a recrutar 60 mil voluntários para controlarem o cumprimento das regras de segurança na “fase dois” de desconfinamento no país, em que se registaram aglomerações de dezenas de pessoas sem máscaras nem distância social.

No fim de semana, suscitaram indignação em Itália imagens de aglomerações, designadamente em Roma e em Nápoles, sobretudo de jovens, sem qualquer respeito pelas regras definidas para evitar a propagação do novo coronavírus, que já levou à morte de mais de 32 mil pessoas por covid-19.

14h15 (CET) Portugal soma mais 14 óbitos e 165 novos casos

Portugal regista hoje 1.330 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que no domingo, e 30.788 infetados, mais 165, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

No entanto, o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, explicou que somente seis das 14 mortes de covid-19 incluídas no boletim epidemiológico ocorreram nas últimas 24 horas, resultando os restantes da verificação dos certificados de óbitos feita pela Direção-Geral da Saúde.

14h00 (CET) Cabo Verde regista mais 10 casos e eleva total para 390

O Ministério da Saúde de Cabo Verde anunciou hoje mais dez novos doentes com covid-19, todos na cidade da Praia, elevando o total nacional de casos para 390.

Cabo Verde tem um acumulado de 390 casos de covid-19 desde 19 de março, três óbitos, 155 doentes recuperados e ainda 230 casos ativos.

13h50 (CET) Pandemia já fez quase 345 mil mortos em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou pelo menos 344.964 pessoas e infetou mais de 5,4 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 11:00 (GMT) de hoje, baseado em dados oficiais.

De acordo com os dados recolhidos pela agência de notícias francesa, já morreram pelo menos 344.964 pessoas e há mais de 5.422.320 infetados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan.

13h30 (CET) Autoridades alemãs confirmam mais 10 óbitos e 289 casos

A Alemanha contabilizou até hoje 178.570 casos diagnosticados de covid-19, um aumento de 289 nas últimas 24 horas, com quatro regiões a não registarem novas infeções desde o dia anterior.

De acordo com o balanço mais recente do Instituto Robert Koch, os estados de Brandeburgo, Meclemburgo-Pomerânia Ocidental, Alta Saxónia e Schleswig-Holstein não apresentaram novas infeções.

Há um total de 8.257 vítimas mortais, um aumento de 10 em relação ao dia anterior, e mais 800 casos considerados curados, para um total de aproximadamente 161.200.

Outras notícias do dia:

O Japão levantou hoje o estado de emergência que estava ainda em vigor em algumas regiões do país, incluindo a capital, Tóquio. "Hoje vamos levantar o estado de emergência em todo o país", disse o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, durante uma conferência de imprensa transmitida pela televisão, num momento em que o país regista cerca de 16.600 casos e aproximadamente 850 mortes.

O Brasil representa já mais de metade dos 40 mil mortos registados pela covid-19 na América Latina e Caraíbas, segundo os dados recolhidos pela agência AFP. A nação presidida por Jair Bolsonaro, que defende a reabertura em pleno da economia do país, soma já 22.666 óbitos e mais de 363 mil casos de infeção, à frente do México (7.394 mortes e 68.620 casos) e do Peru (3.456 óbitos e 119.959 infeções).

Na Índia e no Bangladesh, milhares de muçulmanos uniram-se em oração pelo fim da pandemia de covid-19. Segundo a Associated Press, muitos tentaram manter as distâncias de segurança e utilizaram máscara e luvas durante as orações.

Cabo Verde reabriu algumas praias, mas impôs horários de funcionamento, proibiu venda ambulante e apenas permite até oito familiares juntos, devido à covid-19. As medidas constam do novo regulamento de acesso e frequência das praias e zonas marítimas balneares, aprovado pelo Instituto Marítimo Portuário de Cabo Verde e que se aplica às oito ilhas habitadas que já deixaram de estar em estado de emergência.

O Irão reabriu hoje os principais locais religiosos, encerrados desde março para lutar contra a epidemia do novo coronavírus, que já causou mais de 7.000 mortos na República Islâmica.

O número de mortos em África pela covid-19 aumentou para 3.348 em mais de 111 mil casos de infeção em 54 países, de acordo com as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos admitam que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro. O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida. O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos. Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença. De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março. Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica.