Última hora
This content is not available in your region

Detenção de "rapper" gera protestos violentos em Espanha

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Detenção de "rapper" gera protestos violentos em Espanha
Direitos de autor  Emilio Morenatti/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Protestos violentos deixaram várias cidades espanholas a ferro e fogo e fizeram mais de trinta feridos, esta noite, após a detenção de um "rapper".

Pablo Hasél estava barricado desde 15 de fevereiro, numa universidade da Catalunha, para evitar a prisão. O artista, visto por alguns como símbolo da liberdade de expressão, foi detido esta terça-feira e enfrenta uma pena de nove meses por injúrias à coroa e às forças de segurança e apologia ao terrorismo.

Hasél tinha até sexta-feira para se entregar de forma voluntária e começar a cumprir a pena.

A sentença vem de 2018, ano em que o rapper espanhol foi condenado a dois anos de prisão e uma multa de 30 mil euros. A pena acabaria por ser reduzida para nove meses, por ter sido considerado que as mensagens "não representavam perigo real".

O governo espanhol já prometeu uma revisão do código penal, para implementar "medidas dissuasivas" em vez da prisão.

Em conferência de imprensa, a vice-primeira-ministra espanhola, Carmen Calvo, afirmou que o executivo pensa "que em todas as questões que derivam da liberdade de expressão e que não implicam um risco para a segurança das pessoas, a reação sancionatória do Estado com a privação da liberdade é, na nossa opinião, uma reação que não é apropriada no contexto das liberdades de uma democracia".

Já em 2014, Hasél tinha sido condenado a dois anos de prisão com pena suspensa, por ter publicado mensagens em que apelava à morte da família real e elogiava grupos terroristas como a ETA.

Vários artistas e figuras públicas, como Pedro Almodóvar e Javier Bardem, demonstraram, no entanto, apoio ao rapper, através de uma petição, apelando a uma mudança na chamada "Lei da Mordaça" em Espanha.

O caso de Pablo Hasél não é inédito no país. Em 2018, o rapperValtrónyc foi condenado por ataques à monarquia. Vive desde então exilado na Bélgica, para onde fugiu, e a justiça espanhola pede a sua extradição.