EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Êxodo face à violência no Myanmar

Êxodo face à violência no Myanmar
Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Embaixadas ocidentais denunciam "atos abomináveis" da Junta Militar

PUBLICIDADE

No noroeste do Myanmar, pelo menos oito pessoas perderam a vida, alvejadas pelas forças de segurança em novos protestos contra a Junta Militar.

Os manifestantes voltaram também à rua na maior cidade do país, Rangum, onde há relatos de um êxodo maciço.

A vizinha Tailândia diz esperar a chegada de milhares de pessoas, que fogem da violência.

Em desacordo com as autoridades, 34 polícias abandonaram os postos no Myanmar e procuraram refúgio na Índia.

"Depois [do golpe militar no Myanmar] ordenaram-nos que disparassemos contra as pessoas e mesmo contra as nossas próprias famílias, se não estivessem do lado do Exército. A polícia está sob o comando do Exército. Nós não podemos atacar o nosso próprio povo, e foi por isso que viemos para Mizoram", afirmava um dos polícias.

Várias embaixadas no Myanmar, incluíndo de países europeus, da União Europeia e dos Estados Unidos, denunciaram esta sexta-feira, num comunicado conjunto, os "atos abomináveis" da junta e exigiram o fim da repressão dos protestos e da censura à imprensa e na internet.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU alerta para possível guerra civil no Myanmar

Militares de Myanmar matam dezenas de pessoas

Protestos pelos reféns em Telavive degeneram em confrontos com a polícia