Oposição britânica quer mão forte do governo no caso da agressão no consulado chinês de Manchester

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
Agressão no consulado chinês em Manchester
Agressão no consulado chinês em Manchester   -   Direitos de autor  Matthew Leung/The Chaser News/AP

O governo britânico está sob fogo cerrado devido à gestão do caso do cidadão chinês agredido no consulado do país asiático em Manchester. Para a oposição, a reprimenda à representação diplomática chinesa está longe de ser suficiente e exige-se mão forte do executivo de Liz Truss.

De acordo com o deputado Conservador, Iain Duncan Smith, "o governo deve dizer categoricamente que qualquer envolvido neste episódio não é bem-vindo aqui. Se for o próprio consul, deve ir embora. E é imperativo falar com o embaixador, isto é fundamental. Falar com o embaixador e exigir um pedido de desculpas. Estas pessoas são "persona non grata" e têm de ir para casa, nunca iremos tolerar isto em solo britânico."

Já Bob Chan, nunca pensou viver uma situação destas quando trocou Hong Kong pelo Reino Unido.

"É perturbador. Este incidente reflete o desrespeito pela lei dos funcionários do consulado da China. Acredito que o Reino Unido é um lugar seguro, com liberdade de expressão. É inimaginável que uma pessoa possa ser arrastada para um consulado e agredida em plena luz do dia. É chocante e não devia acontecer."
Bob Chan
Manifestante

O episódio teve lugar no domingo, durante um protesto pela democracia. Para a representação diplomática chinesa, o manifestante em questão invadiu as instalações do consulado e representava uma ameaça.

De acordo com a lei, a polícia local só pode intervir no interior do consulado a pedido das autoridades consulares.