EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Rishi Sunak: "Mantenham-me no cargo e eu ofereço-vos mudanças"

Primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, na Conferência do Partido Conservador, Manchester, 4 de outubro de 2023
Primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, na Conferência do Partido Conservador, Manchester, 4 de outubro de 2023 Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Maria Barradas com Agências
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A lutar com previsões eleitorais sombrias e dúvidas crescentes, o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, pediu aos eleitores céticos e ao seu próprio Partido Conservador que lhe deem um voto de confiança.

PUBLICIDADE

No seu primeiro - e talvez último - discurso como líder na conferência anual do Partido Conservador, antes das eleições marcadas para 2024, Sunak disse que não tem medo de fazer escolhas difíceis e tomar grandes decisões que proporcionarão “sucesso de longo prazo” em vez de “sucesso de curto prazo”. 

Uma das grandes decisões anunciadas dividiu o partido e ameaça fazer descarrilar a sua agenda: desmantelar grande parte de uma ambiciosa linha ferroviária de alta velocidade que foi planeada para ligar Londres a Manchester, a High Speed 2 (HS2).

Sunak argumentou que os custos dobraram e “os factos mudaram”, mas alguns conservadores criticam a decisão e dizem que foi "uma má jogada – e tomá-la numa conferência em Manchester foi desastrosa". Há mesmo quem lhe chame "uma enorme gafe política".

A ameaçada ferrovia High Speed 2, outrora considerada o maior projeto de infraestrutura da Europa, pretendia reduzir o tempo de viagem e aumentar a capacidade entre Londres, a cidade de Birmingham, no centro da Inglaterra, e as cidades de Manchester e Leeds, no norte, com velocidades de 400 km/h e comboios de última geração.

Descrito como uma parte fundamental dos planos do governo para nivelar o país, através da redistribuição de empregos e investimentos do sul rico de Inglaterra para o norte mais pobre, o seu custo foi estimado em 33 mil milhões de libras em 2011, mas triplicou para mais de 100 mil milhões de libras ( 116 mil milhões de euros) segundo algumas estimativas. 

O autarca de Manchester, Andy Burnham, membro do Partido Trabalhista, na oposição, disse que a decisão envia a mensagem de que “já não podemos fazer coisas grandes e difíceis", e que isso "não é bem acolhido na Grã-Bretanha”, acrescentando que a decisão não é justa para as pessoas de Manchester.

Rishi Sunak esforça-se para tentar persuadir o eleitorado britânico que um partido no poder há 13 anos merece outro mandato. 

Nas últimas semanas, o primeiro-ministro anunciou medidas populistas – como a desaceleração dos movimentos para a eliminação progressiva dos combustíveis fósseis – destinadas a reconquistar os eleitores que rejeitaram os conservadores devido à estagnação da economia britânica, à crise do custo de vida e às vagas de greves, incluindo a dos maquinistas de comboios, esta quarta-feira, que atrapalhou os planos de viagem de alguns participantes da conferência do Partido Conservador.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Partido Conservador perde dois assentos no parlamento britânico

Parlamento britânico investiga Rishi Sunak por conflito de interesses

Eleitores britânicos vão escolher um novo governo esta quinta-feira