Catástrofes climáticas obrigam à deslocação de milhões de crianças, diz UNICEF

Somália, Etiópia e Eritreia são apontados entre os países mais vulneráveis
Somália, Etiópia e Eritreia são apontados entre os países mais vulneráveis Direitos de autor Jerome Delay/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Maioria das deslocações é causada por cheias e tempestades

PUBLICIDADE

Os fenómenos climáticos mais extremos estão a obrigar à deslocação de milhões de crianças. E as alterações climáticas só vão piorar esse contexto. É o alerta lançado por um relatório da UNICEF, que aponta que, no espaço de cerca de seis anos, até 2021, mais de 40 milhões de crianças foram forçadas a abandonar as suas casas devido a tempestades, inundações, incêndios, entre outros.

Segundo o mesmo documento, esse número vai quase triplicar nas próximas três décadas. 

Filipinas, Índia e China estão entre os países mais afetados, sobretudo na sequência de cheias, e representam praticamente metade das deslocações forçadas.

Somália, Etiópia e Eritreia são apontados entre os países mais vulneráveis e com menos capacidade para dar resposta a esta realidade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Furacão Otis deixa destruição e morte em Acapulco

Furacão "Otis" irrompe por Acapulco a 300 quilómetros/hora e faz 27 mortos

Catástrofes causaram perdas agrícolas de biliões de euros