EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Hamas promete executar reféns por cada ataque israelita

Soldado israelita
Soldado israelita Direitos de autor JACK GUEZ/AFP or licensors
Direitos de autor JACK GUEZ/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Israel isola completamente a Faixa de Gaza, enquanto combatentes islâmicos entram pela fronteira libanesa, a norte

PUBLICIDADE

O Hamas anunciou que vai executar um refém por cada ataque israelita que vitime civis na Faixa de Gaza.

Ao que tudo indica, os serviços de emergência israelitas descobriram mais de uma centena de corpos numa pequena comunidade agrícola, no que poderá ser uma execução em massa já perpetrada pelo Hamas.

Bombardeamentos contra edifícios alegadamente ligados ao Hamas e um cerco implacável a toda a Faixa de Gaza, privada agora de eletricidade, água, alimentos e combustíveis - assim ganha cada vez mais força a retaliação israelita aos ataques surpresa dos combatentes Hamas contra o seu território, durante o fim de semana.

Ainda esta segunda-feira, registavam-se combates em Israel. Os civis são as vítimas diretas de uma nova vaga de conflitos cujo número provisório de mortos continua a aumentar: mais de 900 israelitas, a esmagadora maioria população civil, e cerca de 600 palestinianos. Há milhares de feridos e mais de uma centena de cidadãos e soldados israelitas foram feitos reféns.

Os rockets palestinianos continuam a espalhar o pânico nas cidades israelitas, onde se vivem momentos inconcebíveis há apenas alguns dias. O Hamas já disparou mais de quatro mil rockets, sobrecarregando as defesas israelitas e perfurando a conhecida cúpula de ferro.

Na fronteira norte, com o Líbano, as milícias do Hezbollah também têm lançado rockets contra o território israelita. O Tsahal declara ter morto cinco homens armados que tentaram entrar em Israel. O grupo Jihad Islâmica Palestiniana reivindicou as incursões a partir do Líbano, afirmando ter ferido sete soldados israelitas.

Israel bombardeia mais de 500 alvos na Faixa de Gaza

O exército israelita bombardeou mais de 500 alvos na Faixa de Gaza, durante a noite. A ofensiva militar foi levada a cabo após, este domingo, Telavive ter declarado formalmente guerra ao Hamas.

As autoridades recuperaram 260 corpos de um local onde decorria um festival de música maioritariamente frequentado por jovens que celebravam o feriado judaico de Sucot.

Benjamin Netanyahu promete não poupar o grupo pelo ataque. Este domingo o governo de Israel acionou o estado de emergência para armamento de civis. Telavive afirma ter matado várias centenas dos combatentes que invadiram o país este sábado. Vários estarão detidos.

O reforço "está a chegar" também dos Estados Unidos. A garantia foi já dada pelo presidente Joe Biden, com Washington a comprometer-se a enviar toda a ajuda necessária para Israel.

Fronteira sob fogo

Mais de 48 horas após o grupo militante palestiniano ter lançado um ataque surpresa, um porta-voz da Defesa israelita diz ainda estarem a decorrer combates no terreno no sul de Israel. Os militares admitem que os combatentes do Hamas ainda estejam a entrar no país a partir de Gaza.

De acordo com as Nações Unidas, o conflito já fez mais de 123 mil pessoas deslocadas em Gaza.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ministro israelita das Comunicações ordena a devolução do equipamento de vídeo apreendido à AP

Netanyahu critica mandado de captura do TPI como "o novo antissemitismo"

Manifestações em Israel para um cessar-fogo em Gaza e renúncia do primeiro-ministro