EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Governo belga confirma morte do terrorista que assassinou dois adeptos suecos

Governo belga confirma morte do terrorista que assassinou dois adeptos suecos
Direitos de autor Martin Meissner/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Martin Meissner/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Homicídio em Bruxelas decorreu na noite em que a Bélgica recebia a Suécia numa partida de futebol, a contar para o Euro 2024. Jogadores suecos recusaram reatar o jogo depois do intervalo

PUBLICIDADE

O atentado ocorreu em Bruxelas, na segunda-feira, às 19h14, hora local. O homicida era de nacionalidade tunisina e encontrava-se em Bruxelas em situação ilegal.

Abdesalem L., de 45 anos, residia em Schaerbeek. Em 2019 requereu asilo mas o pedido foi recusado em menos de um ano. Era conhecido das autoridades por "tráfico de seres humanos, residência ilegal e atentado à segurança do Estado", indicou o ministro da Justiça, Vincent Van Quickenborne.

O suspeito acabou por ser abatido pela polícia. Equipas médicas deslocaram-se até ao local da detenção, mas o homem acabou por morrer. De acordo com o Ministério Público, os agentes da polícia foram obrigados a abrir fogo quando tentavam deter o extremista islâmico tunisino.

O primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, declarou que o país não via ceder perante o terrorismo. O homem foi baleado em Schaerbeek, o mesmo bairro onde o ataque teve lugar na noite de segunda-feira.

De acordo com as testemunhas, um homem armado apareceu numa scooter e disparando contra um grupo de adeptos. Um terceira pessoa de nacionalidade sueca também ficou ferida. A segunda parte do jogo entre as equipas da Bélgica e da Suécia foi cancelada, após a divulgação da notícia do incidente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dançarinos dão colorido especial às ruas de Bruxelas e Caracas

Zelenskyy assina acordo em Bruxelas antes de viajar para Lisboa esta terça-feira

Bélgica: plano de habitação acessível torna mais fácil comprar depois de arrendar