EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Kosovo e Sérvia devem retomar o diálogo e travar agravamento do atrito

Foto das delegações internacionais com o Presidente Aleksandar Vučić
Foto das delegações internacionais com o Presidente Aleksandar Vučić Direitos de autor Presidência sérvia via AP
Direitos de autor Presidência sérvia via AP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Enviados especiais para os Balcãs da União Europeia e dos Estados Unidos visitaram Pristina e Belgrado quase um mês após ataque que agravou tensão

PUBLICIDADE

O Kosovo e a Sérvia devem "cumprir totalmente as obrigações" e "retomar o diálogo de imediato", avisou este sábado o emissário especial europeu para os Balcãs.

Miroslav Lajčák e o homólogo dos Estados Unidos, Gabriel Escobar, lideraram a primeira visita diplomática a Belgrado e a Pristina de uma delegação internacional quase um mês depois de 30 sérvios terem irrompido pelo norte do Kosovo e matado um polícia, agravando aquele atrito histórico nos Balcãs.

Ao lado dos enviados especiais estiveram também representantes diplomáticos de Alemanha, Espanha e França.

"Os acontecimentos de 24 de setembro sublinharam de forma muito clara que tanto um desagravamento como uma normalização são agora mais urgentes que nunca. Quaisquer condições ou adiamentos são inaceitáveis e também esperamos que o Kosovo e a Sérvia cumpram totalmente as obrigações de diálogo", afirmou o enviado especial europeu em Pristina.

A União Europeia e os Estados Unidos pretendem que Kosovo e Sérvia, dois candidatos a entrarem no anunciado alargamento do bloco europeu, cumpram o plano de 10 pontos apresentado pelos "27" em fevereiro para pôr fim ao atrito político. Na altura, ambos os países aceitaram a proposta sob reserva.

O atrito, no entanto, tem vindo a agudizar-se na região norte do Kosovo, onde existem diversos municípios de maioria étnica sérvia e o ataque do mês passado elevou a tensão.

O enviado europeu quer ver as conclusões da investigação em curso ao ocorrido a 24 de setembro, mas agora também espera que o Kosovo permita a criação de uma associação de municípios de maioria sérvia no norte do país, algo que o governo de Albin Kurti receia que se torne na primeira pedra para uma mini república separatista sérvia.

Miroslav Lajčák mostrou-se favorável ao levantamento das sanções europeias em vigor contra o Kosovo, mas lembrou que antes disso é preciso dar os passos necessários para apaziguar a tensão no norte daquele país.

Outras fontes • AP, AFP

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sérvia passa a permitir entrada de carros com matrícula do Kosovo

Segurança reforçada no Kosovo após assassinato de polícia atribuído a sérvios kosovares

UE deixa recado a Sérvia e Kosovo após mais uma aproximação falhada